Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Palmeiras estreia a nova arena em festa, mas sob pressão

<p>Torcedores contam as horas para estreia do novo estádio do clube, mas atletas se preparam para jogo contra Sport sabendo que precisam vencer a todo custo</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 19h15 - Publicado em 19 nov 2014, 12h23

“Estamos participando da abertura de um maravilhoso estádio. Mas, para nós, essa festa ficará um pouco de lado”, avisou Dorival Júnior

Depois de 1.594 dias, o palmeirense voltará a ver o seu time em seu próprio estádio, nesta quarta-feira, às 22 horas (de Brasília), contra o Sport. Passados quatro anos do último jogo no velho Palestra Itália, o time sobe ao gramado do moderno Allianz Parque com a esperança de uma vitória, evitando que a festa fique manchada pela luta da equipe contra o rebaixamento no Brasileirão. A partida desta quarta, portanto, também é marcada por forte tensão: o Palmeiras não pode nem pensar num tropeço, já que isso despertaria de novo o risco de queda no ano do centenário. O único presente para a torcida nesta temporada festiva, aliás, é a entrega do estádio. Caberá ao limitado elenco montado pelo presidente Paulo Nobre a missão de não frustrar o ambiente festivo que cerca a inauguração da arena. Para isso, o time precisa deixar para trás o fraco futebol mostrado nas duas últimas rodadas, com derrotas para Atlético-MG (com time reserva) e São Paulo.

Leia também:

Palmeirenses esgotam ingressos para jogo em nova arena

Palmeirenses dizem que nova casa é melhor que Itaquerão

Continua após a publicidade

CBF quer a Arena do Palmeiras como sede da Rio-2016

Continua após a publicidade

Palmeiras faz 100 anos e novo estádio exibe homenagem

Arena do Palmeiras quer NBA, UFC e shows já no 1º ano

“Há uma motivação grande, espero que seja um período de muitas glórias”, disse Felipe Menezes sobre o primeiro jogo na casa nova. “É claro que neste ano não temos condições de conquistar títulos, mas queremos sair dessa situação chata para que no ano que vem, com um novo planejamento, o clube possa pensar em voos mais altos.” O meia deve ter mais uma chance no time titular por causa da ausência de Valdivia. O chileno voltou a se queixar de dores na região abdominal após defender sua seleção e, com isso, o Palmeiras não poderá contar com seu jogador mais caro e qualificado na abertura da arena. Outra opção do técnico Dorival Júnior para a vaga é Mazinho, já que Felipe Menezes não foi bem no clássico contra o São Paulo. Se o Palestra Itália foi reconstruído em quatro anos (apenas um pequeno setor de arquibancadas teve sua estrutura preservada), Dorival precisa reformar rapidamente para superar a ausência de seu único craque e se livrar de vez da ameaça de rebaixamento.

O técnico diz apostar no espírito de luta de seus comandados para abrir distância para a zona de rebaixamento – hoje, são só três pontos separando o clube paulista dessa parte da tabela. “Os jogadores precisam ter a consciência de que estamos participando da abertura de um maravilhoso estádio, e, se Deus quiser, vai se abrir uma nova era também. Mas, para nós, essa festa ficará um pouco de lado”, avisou o treinador, sem esconder a apreensão. A expectativa da torcida é tão grande que os ingressos se esgotaram no começo da semana. Quem tentará estragar a festa do Palmeiras é o Sport, que aparece em 12º lugar, com 44 pontos, praticamente sem chances de cair. “A fase do Palmeiras não nos importa. Precisamos nos concentrar no nosso jogo. O Sport precisa dos três pontos para alcançar seus objetivos’, cobrou o técnico Eduardo Baptista. Os pernambucanos contam com Diego Souza, que foi ídolo no Palmeiras e tem feito bons jogos pelo time do Recife.

(Com agência Gazeta Press)

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade