Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Palmeiras define Douglas como prioridade e analisa atacante Ariel

Por Da Redação 25 dez 2011, 16h57

Na busca pela qualidade ofensiva que tanto fez falta em 2011, Arnaldo Tirone colocou como meta durante o período sem jogos trazer um meia e dois atacantes. Na armação, o nome traçado como fundamental, apesar das dificuldades, é Douglas, do Grêmio. Já o argentino Ariel, do Racing Santander, da Espanha, pode ser o centroavante.

A obsessão, por enquanto, é Douglas. A diretoria do Grêmio, que tem boas relações com o presidente do Verdão e seus dirigentes, já se colocou aberta a propostas por conta dos obstáculos em renovar com o meia, vinculado ao Tricolor até dezembro de 2012. E deve ser procurado pela equipe do Palestra Itália.

‘Já tentamos o Douglas e ainda não joguei a toalha. Ele é prioridade, gostaria muito de tê-lo no Palmeiras. A pedida salarial está um pouco fora do que imaginávamos, mas ainda vamos conversar’, afirmou Tirone à rádio Jovem Pan.

Além de acertar a parte financeira diretamente com os representantes do jogador, também cotado pelo Corinthians e de posição carente no São Paulo, é necessário oferecer ao Grêmio um valor considerável. Os gaúchos prometem ouvir qualquer oferta, aumentando a possibilidade de convencê-los.

Já para o ataque, existe a oportunidade de Ariel ser um dos ‘camarões’ pedidos por Luiz Felipe Scolari – o técnico usou comida como metáfora para exigir reforços de valor antes mesmo do fim do Campeonato Brasileiro. O nome do argentino é avaliado para se definir uma oferta a ele.

‘Estamos analisando o Ariel’, limitou-se a dizer Tirone, tentando transmitir tranquilidade à torcida que tanto cobra contratações – até agora, só chegou o lateral esquerdo Juninho, do Figueirense, e o zagueiro Adalberto Román, rebaixado com o River no Campeonato Argentino, está próximo de ser confirmado.

‘Os torcedores podem ficar tranquilos. Os reforços vão chegar. Vamos trazer logo dois atacante e um meia para dar ao Palmeiras o que o time precisa e satisfazer o nosso torcedor’, discursou o contestado presidente.

Continua após a publicidade
Publicidade