Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Palmeiras cresce no fim e vence por 2 a 0 no Olímpico

Por Demétrio Vecchioli

São Paulo – Cinco minutos de futebol. Foi o que o Palmeiras precisou para vencer o Grêmio por 2 a 0, nesta quarta-feira à noite, em Porto Alegre, e ficar em grande vantagem nas semifinais da Copa do Brasil. Mazinho entrou aos 40 minutos, marcou o gol no minuto seguinte, e abriu o placar. Aos 44, Barcos fez de cabeça numa desatenção da zaga.

Preocupado apenas em se defender, o Palmeiras se fechou por 85 minutos. Só no fim do segundo tempo é que Felipão, mesmo contente com o placar sem gols, resolveu mexer no time, trocando Daniel Carvalho por Mazinho, o “Messi Black”, como ele mesmo se definiu quando foi contratado. No primeiro toque na bola o meia-atacante fez 1 a 0. O Grêmio sentiu o baque e aceitou o segundo gol, após cruzamento da esquerda.

Agora o Palmeiras pode até perder por um gol de diferença, quinta-feira que vem, na Arena Barueri, no jogo de volta, que mesmo assim se classifica à final da Copa do Brasil contra quem passar entre São Paulo e Coritiba.

O JOGO – Em busca de um empate em Porto Alegre, Luiz Felipe Scolari apostou na velha prática de fechar o time atrás. Para isso, montou o time com uma formação diferente. Artur aparecia mais como terceiro zagueiro do que como lateral-direito. Já Henrique, defensor de origem, foi escalado como primeiro volante, dando proteção à zaga alviverde. Luxemburgo apostou na dupla Kleber e Miralles, mas também não abriu mão dos três volantes.

Com seis jogadores de marcação no meio-campo, três de cada equipe, o jogo foi truncado, com o Grêmio tendo mais posse de bola, mas sem encontrar formas de furar a retranca alviverde.

A primeira chance de gol veio quando o relógio já se aproximava do vigésimo minuto, numa foto que Marcos Assunção alçou na área, mas que sequer levou perigo a Victor. Depois disso o Grêmio passou a ser mais incisivo e passou a chegar mais vezes à grande área adversária, quase sempre pelo alto. Invariavelmente, porém, a zaga cortava ou o desvio gremista mandava a bola para longe do gol.

Quando abriu mão dos cruzamentos, o Grêmio quase abriu o placar. Primeiro, aos 42 minutos, Fernando bateu falta direto para o gol e carimbou a trave esquerda. Pouco depois, Léo Gagocobrou falta com perigo, ninguém desviou e Bruno teve trabalho para pegar no reflexo, na sua única defesa em todo o primeiro tempo.

O começo do segundo tempo, porém, teria ainda menos emoções. Foram necessários 25 minutos de bola rolando para que um lance acordasse o torcedor. E foi do Palmeiras, com Barcos carregando a bola e chutando por cima do gol. De resto, muita disputa no meio-campo e pouco talento.

Jogando em casa, Vanderlei Luxemburgo era o mais descontente com o resultado. Tanto que mudou todo o setor ofensivo, saindo os três jogadores mais adiantados e entrando Rondinelly, Marcelo Moreno e André Lima. Na primeira jogada do meia-atacante, ele encontrou Pará livre no lado direito da área, mas o lateral chutou para fora. Logo depois, o boliviano tentou de bicicleta, mas mandou nas mãos de Bruno.

Foi a alteração de Felipão, porém, que mudou o jogo. Cicinho, substituto do lesionado Artur, tocou em profundidade para Mazinho, que, no primeiro toque na bola, tirou de Victor e fez 1 a 0. O Grêmio foi para o ataque, mas levou o segundo, num cruzamento de Juninho que encontrou Barcos livre no segundo pau. Victor saiu mal e não conseguiu segurar.

FICHA TÉCNICA:

GRÊMIO 0 X 2 PALMEIRAS

GRÊMIO – Victor; Gabriel, Werley, Gilberto Silva e Pará; Fernando, Souza, Léo Gago e Marco Antônio (Rondinelly); Miralles (Marcelo Moreno) e Kleber (André Lima). Técnico – Vanderlei Luxemburgo.

PALMEIRAS – Bruno; Artur (Cicinho), Thiago Heleno e Maurício Ramos; Henrique, João Vitor, Marcos Assunção, Daniel Carvalho (Mazinho) e Juninho; Luan e Barcos. Técnico – Luiz Felipe Scolari.

GOLS – Mazinho, aos 41, e Barcos, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO – Héber Roberto Lopes (Fifa-PR)

CARTÕES AMARELOS – Thiago Heleno, João Vitor e Marcos Assunção.

RENDA E PÚBLICO – Não disponíveis.

LOCAL – Estádio Olímpico, em Porto Alegre.