Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

País de Schumacher, Vettel e Rosberg não terá F1 em 2017

Diretor do circuito de Hockenheim confirmou que não chegou a acordo com Bernie Ecclestone e não haverá GP da Alemanha na próxima temporada

A Alemanha não receberá um Grande Prêmio de Fórmula 1 na próxima temporada, confirmou o diretor do circuito de Hockenheim, Georg Seiler, a uma semana da confirmação do calendário de 2017. Seiler explicou à agência de notícias alemã SID, que as negociações com o chefão da F1, Bernie Ecclestone, resultaram na exclusão do GP da Alemanha do calendário.

Com esta modificação, devem ocorrer apenas 20 corridas em 2017, um a menos que esta temporada, a mais longa desde a criação do campeonato mundial, em 1950. Assim como a prova em Hockenheim, na Alemanha, o GP do Brasil, em Interlagos, também consta como dúvida para 2017. A confirmação sobre a etapa em São Paulo deve sair no fim do mês. 

Veja também

A Alemanha, país de origem de grandes ícones do automobilismo como o heptacampeão Michael Schumacher e o tetracampeão Sebastian Vettel – além dos líderes da atual temporada, o piloto Nico Rosberg e a equipe Mercedes – , só deve voltar a receber uma etapa da Fórmula 1 em 2018, já que o contrato atual com a FIA prevê apenas a realização de um GP em Hockenheim a cada dois anos.

Os problemas começaram com a desistência do outro circuito alemão, o Nürburgring, que vinha alternando com Hockenheim e foi comprado por um novo proprietário. Os dirigentes de Hockenheim tentaram preencher a lacuna para 2017, sem sucesso. “Os riscos econômicos são grandes demais e nenhuma proposta foi capaz de eliminá-los. É uma pena, mas não é uma surpresa, já que não tínhamos contrato para esta temporada”, lamentou Seiler em entrevista à revista alemã AutoBild.

A F1 não é mais um grande sucesso de público na Alemanha, apesar do domínio da escuderia local Mercedes desde 2014 e de Nico Rosberg ter grandes chances de se sagrar campeão mundial neste domingo, em Abu Dhabi. Na segunda-feira, a Malásia também trouxe más notícias à Bernie Ecclestone: o ministro do turismo do país informou que a Malásia não receberá mais Grande Prêmio depois de 2018, por causa de uma queda importante nas receitas.

Provável calendário da F1 em 2017:

26 de março: GP da Austrália (Melbourne)

9 de abril: GP da China (Xangai)

16 de abril: GP de Bahrein (Sakhir)

30 de abril: GP da Rússia (Sochi)

14 de maio: GP d’Espagne (Barcelona)

28 de maio: GP de Mônaco

11 de junho: GP do Canadá (Montreal)

18 de junho: GP da Europa (Baku, Azerbaijão)

2 de julho: GP da Áustria (Spielberg)

9 de julho: GP da Grã-Bretanha (Silverstone)

30 de julho: GP da Hungria (Hungaroring, Budapest)

27 de agosto: GP da Bélgica (Spa-Francorchamps)

3 setembro: GP da Itália (Monza)

17 de setembro: GP de Cingapura

1º de outubro: GP da Malásia (Sepang, Kuala Lumpur)

8 de outubro: GP do Japão (Suzuka)

22 de outubro: GP dos Estados-Unidos (Austin)

5 de novembro: GP do México

12 de novembro: GP do Brasil (Interlagos, São Paulo)

26 de novembro: GP d’Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos)

(com agência AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Micky Oliver

    ACABA COM ESSA B#STA! E OLHA QUE OS ALEMÃES TEM MOTIVOS DE SOBRA PARA TEREM SUAS CORRIDAS, BEM DIFERENTE DO BRASIL QUE SERVE APENAS DE CIRCO E LAVAGEM DE DINHEIRO PRA F1!

    Curtir