Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Oswaldo elogia marcação do Treze, reclama de lesões e defende Loco

Por Da Redação 22 mar 2012, 08h15

Um elenco voltando de lesão, fisicamente desgastado, e a marcação eficiente do adversário. Para o técnico do Botafogo, Oswaldo de Oliveira, foram essas as maiores dificuldades encontradas pelo Glorioso para eliminar o Treze-PB, na noite dessa quinta-feira, pela primeira fase da Copa do Brasil. O Fogão empatou em 1 a 1 no tempo regulamentar e só se classificou depois de vencer por 3 a 2 nos pênaltis.

‘Da forma que atuou o Treze, muito inteligente, marcando severamente os nossos meias, ficou difícil (a partida não ir para os pênaltis). A situação de jogo, o fato de termos levado um gol na saída de bola, tudo isso atrapalha. Mas nós não criamos o suficiente para vencer’, disse o treinador.

‘Tivemos jogadores que estavam voltando de lesão e outros tantos que vem jogando incansavelmente ao longo de vários jogos. Isso atrapalhou o andamento da partida, e sabíamos que precisávamos superar isso para conseguir a vitória nessa partida’, continuou.

Oswaldo ainda fez questão de elogiar Loco Abreu. O uruguaio, que já havia desperdiçado um pênalti na eliminação do Botafogo na semifinal da Taça Guanabara, perdeu outra penalidade contra o Treze-PB. Mesmo assim, o treinador alvinegro ressaltou a experiência e o poder de decisão do centroavante.

‘O Abreu, assim como outros craques, perdeu pênaltis decisivos. Faz parte do futebol. Nada proíbe que, em uma próxima oportunidade, ele voltar a marcar em situações de grande expectativa decisiva’, afirmou.

Continua após a publicidade

Publicidade