Clique e assine a partir de 8,90/mês

Os esportes mais seguros e os que trazem maior risco em tempos de Covid-19

O tênis, por exemplo, é uma boa opção

Por Da Redação - Atualizado em 30 jul 2020, 14h01 - Publicado em 31 jul 2020, 06h00

– Baixíssimo
Uma quadra de tênis tem mais de 20 metros de comprimento (o que garante um bom distanciamento entre os jogadores) e, em boa parte dos casos, a atividade é praticada ao ar livre. Esses fatores colocaram a modalidade na lista das mais seguras em tempos de Covid-19, de acordo com um levantamento recente da Associação Médica do Texas, nos Estados Unidos. A entidade classificou uma série de atividades do cotidiano em uma escala de zero a 10, segundo o nível de risco. Disputar uma partida de tênis ficou no mesmo patamar de acampar e abastecer um carro.

– Baixo
Na mesma pesquisa, pedalar, caminhar ou correr na companhia de três ou mais pessoas foram consideradas atividades relativamente seguras, no mesmo nível de comer em um restaurante ao ar livre ou ficar uma hora em um playground.

– Moderado
As pessoas que vão dar umas braçadas em uma piscina pública, os consumidores dos shoppings ou os frequentadores de comércio de rua foram enquadrados pelos especialistas americanos na mesma categoria de risco de exposição. Vale a cautela.

– Mais alto
Os jogadores de futebol ou de basquete têm a mesma probabilidade de ser contaminados que os passageiros de um avião ou os clientes de um salão de beleza. De acordo com os especialistas da Associação Médica do Texas, malhar na academia apresenta um risco um pouco maior. Vale lembrar que vários proprietários desses espaços no Brasil e no mundo tomaram medidas sérias para reduzir o perigo, como proibir o uso de vestiários, higienizar equipamentos e estabelecer um espaçamento mínimo entre os frequentadores.

Publicado em VEJA de 5 de agosto de 2020, edição nº 2698

Continua após a publicidade
Publicidade