Clique e assine a partir de 9,90/mês

Os brasileiros que sonham com o cinturão do UFC em 2019

País tem apenas Amanda Nunes como campeã, mas alguns atletas precisam de uma ou duas vitórias para se credenciar à disputa de título

Por Da redação - Atualizado em 29 jan 2019, 11h22 - Publicado em 29 jan 2019, 10h39

O MMA brasileiro tenta se recuperar de um período de crise e alguns lutadores nacionais iniciam o ano com esperanças de brigar pelo cinturão do UFC em 2019. Atualmente, o país tem apenas dois títulos, ambos de Amanda Nunes, que já era a campeã peso-galo feminino e fez história ao nocautear a compatriota Cris Cyborg na disputa pelo peso pena. Por enquanto, apenas Jessica Andrade tem uma disputa de título agendada, mas outros atletas já entram no começo da fila de desafiantes.

No primeiro evento da organização no Brasil, em 2 de fevereiro, dois compatriotas se enfrentam na luta principal em Fortaleza: Raphael Assunção e Marlon Moraes, que ocupam, respectivamente, a terceira e quarta colocação do ranking peso-galo do UFC e vêm de bons resultados na categoria. Quem vencer, portanto, se credencia a sonhar com o cinturão, atualmente nas mãos do americano TJ Dillashaw.

Outro destaque na categoria masculina e que figura o card do UFC Fortaleza é o ex-campeão peso-pena José Aldo, que encara Renato Moicano na luta coprincipal na capital cearense. Apesar de Aldo ser o segundo da categoria no ranking do UFC, é Moicano, quinto colocado, quem tem mais esperanças de brigar pelo título em 2019, caso vença o ex-campeão no próximo sábado.

Aldo, de 32 anos, afirmou recentemente que pretende cumprir as três últimas lutas do seu contrato e se aposentar em 2019 e não coloca mais o cinturão como um objetivo de sua carreira. “Quero lutar em Fortaleza, em Curitiba e encerrar a minha carreira aqui no Brasil, no segundo semestre. Eles (UFC) sabem disso. Não tem motivo eu mirar um título, mas eu vou vencer essas três lutas e atrapalhar quem entrar na minha frente. Com a luvinha preta, esse é o último ano”, disse.

Continua após a publicidade

Outra lenda do MMA nacional tem planos diferentes: aos 43 anos, Anderson Silva retorna ao octógono para enfrentar Israel Adesanya, no UFC 234, em 10 de fevereiro, e, em caso de vitória, o ex-dono do peso-médio já recebeu a promessa do “title shot”, a disputa garantida de título, do próprio Dana White, presidente da organização. Anderson ficou um ano suspenso por doping por uso de suplemento contaminado.

Outros atletas também têm chance de lutar pelo cinturão em 2019, como Ronaldo Jacaré (terceiro colocado do ranking peso-médio), Jussier Formiga (segundo do peso-mosca), John Lineker (sexto no peso-galo), Thiago Marreta (sexto do meio-pesado) e Junior Cigano (sétimo do pesado). Jessica Andrade é a única com disputa garantida: desafiará a americana Rose Namajunas, campeã peso-palha feminino, na Arena da Baixada, em Curitiba, no mês de maio.

(Com Estadão Conteúdo)

Publicidade