Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Organização da São Silvestre comemora resultados e projeta ajustes

Por Da Redação - 3 jan 2012, 15h25

A organização da 87Corrida Internacional de São Silvestre fez um balanço positivo da prova realizada nas ruas e avenidas de São Paulo no último sábado (31). E, para melhorar ainda mais a próxima edição, a Yescom enviará aos 25 mil atletas uma pesquisa de satisfação para definir como será a corrida do dia 31 de dezembro.

‘Os principais fatos a serem comemorados são o recorde de inscrições, o alto nível técnico do pelotão de elite, com corredores de ponta da África e Europa, o novo percurso e nenhum registro de acidentes, principalmente por causa da chuva nas descidas da Rua Major Natanael e Avenida Brigadeiro Luís Antônio’, avalia Thadeus Kassabian, diretor da Yescom.

O diretor da Yescom reconhece, no entanto, que a chuva que atingiu a capital paulista no último dia de 2011 dificultou a corrida dos participantes e o trabalho da organização, que mesmo assim conseguiu promover um atendimento rápido no pós-prova, incluindo a entrega das medalhas após os 15 km.

‘O temporal não estava nos planos. Seria impossível atender a todos na Avenida Paulista com a chuva e o evento que aconteceria em seguida. Teríamos sérios problemas. Nossa equipe finalizará nesta terça-feira (3) a limpeza e a desmontagem da estrutura. A área de dispersão para 2012 será ampliada e garantirá ainda mais conforto e infraestrutura aos corredores. Vamos fazer ajustes. Por isso, a participação e opinião de todos é fundamental’, reforça Thadeus Kassabian.

Publicidade

A feira realizada durante a entrega dos 25 mil kits de participação da Corrida Internacional de São Silvestre será ampliada e seguirá o mesmo padrão das principais provas do mundo. A Meia de São Paulo, Maratona de São Paulo e a Volta da Pampulha de 2012 também terão essa estrutura.

A prova – Mesmo com muita água, o etíope Tariku Bekele (43min35s) venceu com tranquilidade com vantagem de 23 segundos para o queniano Mark Korir.

No feminino, uma chegada emocionante: Priscah Jeptoo, do Quênia, e Yime Wude Ayalew, da Etiópia, percorreram os 15 km juntas até o Obelisco do Ibirapuera. Melhor para a queniana que chegou em 48min48s, vantagem de 4s para a vice-campeã.

O melhor brasileiro no masculino foi Damião Ancelmo de Souza que cruzou a linha em sétimo lugar (44min53s), seguido do compatriota Marílson Gomes dos Santos (45min06s). Entre as mulheres, a melhor brasileira foi Cruz Nonata, que ficou em sexto com a marca de 51min59s.

Publicidade

A prova foi disputada com temperatura média de 25 C e umidade 57%. O novo percurso foi a atração com a chegada no Obelisco do Ibirapuera, onde estão os restos mortais do idealizador da corrida, Cásper Líbero.

A 87São Silvestre foi uma realização da Fundação Cásper Líbero e promoção da Gazeta Esportiva Net e TVGlobo. A prova teve patrocínio de Caixa, Fisk, Correios e Rexona, apoio do Hcor São Paulo, Montevérgine, Gatorade, Café 3 Corações, Probiótica, TAM Viagens, Green CO2-Neutralização de carbono, Rádio Globo e CBN e apoio especial do Governo do Estado de São Paulo e da Prefeitura de São Paulo. A supervisão foi da CBAt, FPA, IAAF e AIMS. O Transamérica Hospitality Group – empresa do conglomerado do Grupo Alfa -, é a Rede oficial que recebeu os atletas do pelotão de elite que disputaram a 87São Silvestre.

Publicidade