Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Olimpíada de Tóquio permitirá espectadores locais nos estádios

Arenas terão ocupação de 50% até o limite de 10 mil torcedores, mas a proibição a estrangeiros é mantida

Por Sergio Figueiredo Atualizado em 21 jun 2021, 10h18 - Publicado em 21 jun 2021, 09h14

A quase um mês da abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio, os organizadores continuam a tomar decisões de última hora em relação aos procedimentos a serem seguidos pelo público e pelos atletas: no momento, aparentemente, é certo apenas que a cerimônia de abertura se dará no dia 23 de julho e que espectadores estrangeiros estão vetados. Quanto ao restante, as autoridades japonesas e olímpicas seguem divulgando medidas conforme a situação vai se acomodando. Com menos de 10% da população plenamente vacinada com duas doses, o comitê organizador decidiu hoje que as arenas receberão apenas 10 mil pessoas por evento, até o limite de 50% de ocupação.

Segundo a agência de notícias Associated Press, o recente comunicado conflita com a recomendação das autoridades médicas japonesas, que acreditam que a forma mais segura de realizar os jogos seria sem a presença de espectadores, tendo em vista a baixa taxa de imunização no país. Há poucas dias, os organizadores sinalizaram que permitiriam que bares e restaurantes ficassem abertos, em períodos determinados, durante os eventos, mas tudo indica que qualquer decisão tomada agora poderá ser revertida ou modificada até o início das competições.

Cerca de 3,6 milhões de ingressos já foram vendidos e, portanto, este seria o número aproximado de público até 8 de agosto, quando termina a Olimpíada de Tóquio. O primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, é a favor da presença de público, mas afirmou que não hesitará em mudar de posição caso a crise de Covid-19 se agrave na capital ou mesmo em outras cidades da região.

Publicidade