Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Brasileiro Darlan Romani fica em 4º no arremesso de peso

Catarinense superou uma série de percalços no ciclo olímpico e alcançou marca de 21,88 metros em prova com recorde olímpico em Tóquio

Por Da Redação Atualizado em 5 ago 2021, 04h12 - Publicado em 5 ago 2021, 04h11

O brasileiro Darlan Romani conseguiu um feito relevante na madrugada desta quinta-feira, 5, ao terminar no 4º lugar do arremesso do peso na Olimpíada de Tóquio. O atleta catarinense alcançou a marca de 21,88 metros e ficou a apenas 59 centímetros do pódio no Estádio Olímpico da capital japonesa.

A medalha de ouro ficou com o americano Ryan Crouser, que fez cinco arremessos acima da marca de 22,5 m, sendo a melhor de 23,3 m, novo recorde olímpico. A prata foi de outro atleta dos Estados Unidos, Joe Kovacs, com 22,65 m, e o bronze do neozelandês Tomas Walsh, com 22,18 m.

  • Com isso, Darlan, de 30 anos, igualou seu resultado do último Mundial e melhorou a marca obtida na Rio-2016, quando terminou em quinto. O feito ganha ainda mais importância a julgar pela atribulada preparação do atleta de 30 anos. Ele teve de viajar ao Japão sem a presença de seu treinador, Justo Navarro, que não conseguiu deixar seu país natal, Cuba, devido às restrições causadas pela pandemia de Covid-19.

    Além disso, Darlan teve de improvisar seus treinos em um terreno perto da sua casa, em Bragança Paulista, e ainda contraiu o vírus e teve de passar por uma cirurgia de hérnia de disco no ano passado. O brasileiro lamentou os empecilhos, mas já colocou como objetivo melhorar seu resultado nos Jogos de Paris-2024.

    “Foi uma excelente competição. Acredito que poderia ter arremessado mais. (…) A pandemia complicou tudo. Ano passado a gente vinha treinando forte. Entrou a pandemia, tudo que aconteceu, a cirurgia, Covid. Enfim, é difícil falar. Só quero agradecer a torcida de todos. Mais uma vez sou quarto, mas não quero mais isso na minha vida. Tem um novo ciclo, dessa vez mais curto. Se eu dava 200%, agora vou dar 300%. Obrigado Brasil”, disse Darlan, emocionado, em entrevista ao SporTV.

    (com Agência Brasil)

    Continua após a publicidade
    Publicidade