Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Olimpíada: comitê pede desculpa por gafe com bandeiras

Organização de Londres 2012 trocou o pavilhão da Coreia do Norte pelo da Coreia do Sul quando mostrava escalação da seleção feminina norte-coreana

O comitê organizador da Olimpíada de Londres procurou minimizar a primeira gafe diplomática dos Jogos com um pedido de desculpas. Nesta quarta-feira, antes da partida entre Colômbia e Coreia do Norte pelo torneio feminino de futebol, o time norte-coreano notou que o telão instalado no estádio Hampden Park, em Glasgow (Escócia), exibia a escalação com as fotos das jogadoras ao lado da bandeira da Coreia do Sul, sua vizinha e inimiga histórica. A troca dos pavilhões irritou as norte-coreanas, que abandoram o gramado e só voltaram quase uma hora depois, após a correção do vídeo de apresentação.

Leia também:

Leia também: Na estreia, veterana Londres amarga erros de principiante

Horas depois da gafe, os organizadores dos Jogos emitiram um comunicado oficial: “Nós vamos pedir desculpas à equipe e ao Comitê Nacional Olímpico norte-coreano e providências serão tomadas para que isso (o erro) não ocorra novamente”. O porta-voz do comitê organizador, Andy Mitchell, declarou que “um erro genuíno foi cometido e nos desculpamos por ele”.

Exigência – O técnico da seleção norte-coreana, Sin Ui Gun, comentou o episódio em entrevista coletiva depois da partida, vencida por sua equipe por 2 a 0. “Nosso time não iria participar (do jogo) a não ser que o problema fosse resolvido adequadamente”, garantiu. “Infelizmente, demorou algum tempo para a transmissão ser feita de novo e então decidimos prosseguir com a partida”.

Blog VEJA nas Olimpíadas: as últimas notícias de Londres

A indignação dos norte-coreanos tem como pano de fundo as tensões entre os dois países vizinhos. Em permanente confronto político e diplomático há mais de 60 anos, a comunista Coreia do Norte e a capitalista Coreia do Sul permancem tecnicamente em guerra. Apesar do armistício declarado no conflito de 1950 e 1953, os dois países jamais assinaram um tratado de paz.