Clique e assine a partir de 9,90/mês

O tetra comprova: valeu a pena esperar pela volta de Abel

Equipe aguardou alguns meses para técnico encerrar contrato com Al Jazira

Por Da Redação - 11 nov 2012, 18h08

Antes de se tornar treinador, Abel Braga começou a carreira no futebol como zagueiro, atuando pelo próprio Fluminense, em 1971. Virou técnico em 1985 – e demorou vinte para comandar o Flu pela primeira vez

Depois de 26 anos de jejum, o Fluminense voltou a conquistar um Campeonato Brasileiro em 2010, terminando a competição dois pontos à frente do segundo colocado, o Cruzeiro. Parecia que 2011 seria mais um ano muito vitorioso para a equipe, mas logo no primeiro semestre o clube sofreu uma grande turbulência: o treinador Muricy Ramalho pediu demissão, alegando insatisfação com a estrutura de trabalho (ele assinou com o Santos meses depois). Vários nomes foram especulados, alguns se interessaram, outros recusaram as sondagens. Nenhum deles deixava o Fluminense totalmente satisfeito. Apenas um era consenso: Abel Braga, um velho conhecido, que gostaria de retornar mas não poderia romper seu contrato no mundo árabe (treinava o Al Jazira). Muito identificado com o clube, Abelão propôs fechar o negócio por antecipação, desde que o Flu topasse aguardar o fim de seu contrato.

Leia também:

Fluminense, campeão brasileiro: tetra garantido com folga

Fred, comandante da conquista: experiência e muitos gols

Após início discreto, Diego Cavalieri opera milagres no Flu

O técnico deu sua palavra a Celso Barros, presidente da Unimed, patrocinadora do Fluminense, e assegurou que voltaria dos Emirados Árabes quando seu acordo terminasse, mesmo que isso significasse rejeitar propostas milionárias dos sheiks. Abel voltou, teve momentos difíceis, custou a encontrar sua equipe ideal. Mas sua ligação especial com o Fluminense resultou no apoio da direção e, finalmente, no título brasileiro conquistado neste domingo. Abel Braga foi apresentado no Fluminense em junho de 2011. Dois meses depois, os muros do clube foram pichados pelos torcedores que pediam sua demissão – a equipe amargava uma fraca campanha no Campeonato Brasileiro. Abelão continuou no comando da equipe e a paciência da diretoria foi premiada em maio de 2012, quando o Fluminense sagrou-se campeão carioca. Com um grupo unido, um time bem montado e um ótimo entrosamento dentro e fora de campo, o clube volta a comprovar que a aposta em Abel valeu a pena.

Antes de se tornar treinador, Abel Braga começou a carreira no futebol como zagueiro, atuando pelo próprio Fluminense, em 1971. Ficou na equipe até 1976, quando foi negociado com o Vasco, e logo depois assinou com o Paris Saint-Germain. Se aposentou em 1985, mesmo ano em que começou a carreira de técnico. Demorou mais vinte para enfim treinar pela primeira vez o Flu. Ele já tinha passado por equipes tradicionais no Brasil e no exterior quando assumiu o comando do time em 2005, numa passagem marcada pela conquista de um título estadual e por um vice da Copa do Brasil. Antes de voltar ao Flu, foi campeão da Libertadores da América e do Mundial de Clubes pelo Internacional. Esses, por sinal, são os próximos objetivos do treinador num clube em que se sente em casa. O campeão brasileiro já tem vaga garantida no torneio continental e promete priorizar a competição, que jamais conquistou, em 2013.

Continua após a publicidade
Publicidade