Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

O recorde histórico de Rebeca Andrade

Ginasta se tornou a única atleta do Brasil, entre homens e mulheres, a conquistar um ouro e uma prata numa mesma edição olímpica — e quer mais

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 1 ago 2021, 08h05 - Publicado em 1 ago 2021, 07h21

Rebeca Andrade cravou seu nome na história do esporte nacional nos Jogos de Tóquio. Com a conquista da medalha de ouro na prova de salto neste domingo, 1º, somada à prata no individual geral, a ginasta de 22 anos obteve a melhor campanha de um brasileiro, entre homens e mulheres, numa mesma edição olímpica. Além disso, tornou-se a primeira mulher do país a subir duas vezes ao pódio.

Antes do feito de Rebeca Centro de Ginástica Ariake, na capital japonesa, apenas outros cinco brasileiros haviam conquistado duas medalhas numa mesma edição. Os mais recentes foram Isaquias Queiroz, da canoagem, com um bronze e uma prata na Rio-2016 e os nadadores César Cielo com um e uma prata em Pequim-2008, e Gustavo Borges, prata e bronze em Atlanta-1996.

  • Há mais de um século, na primeira participação do país, nos Jogos Olímpicos de 1920 na Antuérpia, na Bélgica, dois representantes do tiro chegaram ao pódio duas vezes. Guilherme Paraense conquistou o primeiro ouro do país, além de um bronze por equipe, junto de Afrânio da Costa, que também retornou ao país com uma prata.

    Rebeca também se juntou a Maurren Maggi, do atletismo, e às judocas Sarah Menezes e Rafaela Silva como únicas mulheres brasileiras a conquistar o ouro em uma modalidade individual. A ginasta ainda pode melhorar seu resultado e se tornar a única atleta brasileira com três medalhas de uma Olimpíada. Na próxima segunda-feira, 2, ela é uma das principais candidatas na prova de solo, na qual mostrará novamente o seu “baile de favela” ao mundo.

    Rebeca Andrade posa com a medalha de ouro do salto
    Rebeca Andrade posa com a medalha de ouro do salto Miriam Jeske/COB/Divulgação

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade