Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

O Palmeiras deveria ou não começar na semifinal?

Critério da Fifa leva em conta superioridade histórica de europeus e sul-americanos, mas foi questionado recentemente pelo técnico do Al Ahly

Por Da Redação Atualizado em 8 fev 2022, 12h04 - Publicado em 8 fev 2022, 10h30

O sul-africano Pitso Mosimane, treinador do Al Ahly, clube egípcio que enfrenta o Palmeiras na semifinal do Mundial de Clubes nesta terça-feira, 8, afirmou que é injusto o time sul-americano já começar em um estágio tão avançado da competição. Ele lembrou que o Verdão ficou atrás do próprio Al Ahly na edição passada, quando os africanos venceram nos pênaltis a disputa pelo terceiro lugar.

“Quantas vezes os africanos têm de se provar? Qual o critério? Por que o Palmeiras joga a semifinal? No ano passado, nós os vencemos. Qual a diferença? Não é o momento de os africanos jogarem a semifinal?”, questionou Mosimane em entrevista coletiva.

O critério da Fifa para colocar os representantes da Europa e da América do Sul direto na semifinal é a histórica superioridade dos times dos dois continentes, considerados tradicionalmente os centros futebolísticos mais fortes do mundo. Antes da criação do Mundial de Clubes em seu formato atual, europeus e sul-americanos decidiam o título apenas entre eles. Além disso, são os dois únicos continentes a terem conquistado a Copa do Mundo, com nove títulos sul-americanos e 12 europeus.

Olhando para o desempenho histórico dos clubes no Mundial da Fifa, o argumento se sustenta. Os europeus dominam o formato, com 13 títulos e três vices em 17 edições; em seguida, aparecem os sul-americanos, com quatro títulos e nove vices. Os asiáticos têm como melhores desempenhos dois vices, assim como os africanos; já os times da Concacaf (Américas do Norte e Central) só fizeram um vice-campeonato, com o Tigres, do México, em 2020.

Em anos recentes, porém, cada vez mais questionamentos têm surgido a respeito desse critério, especialmente em relação à entrada do time sul-americano direto na semifinal. Quando um sul-americano ficou fora da decisão pela primeira vez, graças à derrota do Internacional para o Mazembe, do Congo, no Mundial de 2010, muitos apostaram que seria apenas um acidente histórico. Não é mais o caso.

Das últimas oito edições do Mundial, em quatro delas o campeão da Libertadores foi eliminado na estreia e ficou fora da decisão: Atlético-MG contra o marroquino Raja Casablanca em 2013, Atlético Nacional contra o japonês Kashima Antlers em 2016, River Plate contra o emiradense Al Ain em 2018 e Palmeiras contra o mexicano Tigres em 2020. O Verdão ainda perdeu para o Al Ahly o terceiro lugar, na pior campanha de um sul-americano na história.

Na visão dos críticos ao atual sistema, a distância técnica do time sul-americano para os de continentes como África ou Ásia é muito menor do que em relação ao representante europeu. Os últimos oito campeões do Mundial, aliás, vieram da Europa; o sul-americano mais recente a levantar o troféu foi o Corinthians, que bateu o Chelsea em 2012. E a depender do resultado de Palmeiras x Al Ahly, a partir das 13h30 desta terça, a reclamação de Pitso Mosimane pode ganhar ainda mais força.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)