Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

O mistério de Pato: ‘Já não sei mais o que fazer’, diz médico

Desde 2010, brasileiro passou 345 dias machucado. E não volta na temporada

Por Da Redação
5 abr 2012, 07h30

“Pato foi declarado clinicamente curado 13 vezes, mas o fato é que não está curado”, disse médico

O calvário do atacante brasileiro Alexandre Pato, do Milan, parece não ter fim. Nesta quinta-feira, o médico do clube, Jean-Pierre Meerssman, anunciou, em entrevista ao jornal Gazzetta Dello Sport, que Pato – uma das esperanças brasileiras para a Copa do Mundo de 2014 – não voltará a jogar nesta temporada. Depois de um longo período afastado e de se tratar num especialista americano, ele voltou no jogo entre Barcelona e Milan, na terça-feira – e sofreu mais uma de suas incontáveis contusões. O médico se mostrou extremamente pessimista e disse abertamente que não faz ideia de como tentar recuperar o jogador.

“Dez, vinte ou trinta dias de ausência não mudam muito a situação. O certo é que a temporada terminou para ele”, disse o médico. “Ele já viajou para vários lugares, foi para a Alemanha, foi para os Estados Unidos, consultou muitos médicos… Já não sei o que fazer”, admitiu. Pato sofre com repetidas lesões e os médicos ainda não conseguiram encontrar a causa de seus problemas musculares. “Quando estiver curado, voltaremos ao ponto de partida. Pato foi declarado clinicamente curado 13 vezes, mas o fato é que não está curado”, disse Meerssman. O brasileiro sofreu sua 14ª lesão nos últimos 25 meses na terça. O atacante permaneceu em campo apenas 14 minutos.

Desde janeiro de 2010, Pato passou 345 dias lesionado e perdeu 66 partidas do Milan. O jogador sofreu lesões musculares nas duas pernas, nos tornozelos e nos músculos adutores. Na atual temporada, disputou apenas onze partidas na Série A italiana e fez só um gol. Após uma nova viagem aos EUA, o técnico do Milan, Massimiliano Allegri, decidiu incluir Pato no banco de reservas para a partida contra o Barcelona, com a aprovação dos médicos. O brasileiro, de 22 anos, quase foi contratado em janeiro pelo Paris Saint-Germain por 28 milhões de euros, mas o proprietário do Milan, Silvio Berlusconi, bloqueou a transferência. Hoje, é difícil pensar que qualquer clube tentaria a contratação.

(Com agência France-Presse)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.