Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novo chefe do COI faz apelo por ‘Jogos limpos’ em Sochi

Thomas Bach diz que medalhas de atletas dopados mancham equipe inteira

Os exames terão um salto “de quantidade e também de qualidade” e serão os mais severos e eficientes já vistos na história dos Jogos

Um dia depois de prometer que a Olimpíada de Inverno de Sochi-2014, na Rússia, terá “o mais duro programa antidoping da história dos nos Jogos”, o novo presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, fez um apelo aos dirigentes para que evitem que o uso de substâncias proibidas manche o evento, que acontecerá entre os dias 7 e 23 de fevereiro, na Rússia. Em discurso nesta sexta-feira, num encontro dos chefes dos comitês olímpicos europeus, o cartola pediu: “Por favor, falem com suas agências nacionais antidoping. Falem com seus governos. Falem com suas federações nacionais. Façam os testes antes da competição e certifiquem-se de que vocês poderão se orgulhar de sua equipe no fim dos Jogos.”

Leia também:

Lance Armstrong promete revelar tudo sobre seu doping

Ben Johnson: 25 anos depois, campanha contra o doping

Bach também afirmou que os escândalos de doping, mesmo que em casos isolados, prejudicam todos os componentes de uma delegação olímpica. “Você pode ganhar quantas medalhas quiser, mas se uma delas foi conquistada com doping, a imagem de sua equipe inteira é contaminada”, lembrou. “Por isso, é do interesse de todos os comitês chegar a Sochi com seus atletas limpos.” O presidente do COI disse que o número total de testes antidoping previstos para os Jogos de Inverno de 2014 será 40% maior do que os realizados na edição anterior da competição, realizada em Vancouver, no Canadá, em 2010. Os exames terão um salto “de quantidade e também de qualidade” e serão os mais severos e eficientes já vistos na história dos Jogos Olímpicos, garantiu o alemão.

(Com Estadão Conteúdo)