Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Novak Djokovic segue o papa e vira sócio do San Lorenzo

Prefeito de Buenos Aires tentou promover o Boca, mas sérvio preferiu o rival

O tenista não rejeitou o uniforme do Boca, mas pediu também uma camisa do San Lorenzo: “Quero a do papa Francisco”

O tenista sérvio Novak Djokovic recebeu na quinta-feira o título de sócio do San Lorenzo de Almagro, um dos grandes clubes argentinos – e equipe preferida do papa Francisco, que vem ajudando a divulgar o nome da agremiação pelo mundo. Prova disso foi o que aconteceu com o próprio Djokovic: o tenista ganhou do prefeito de Buenos Aires uma camisa do Boca Juniors, mas ele respondeu que preferia o uniforme do time do papa. O sérvio, que está na Argentina para jogar uma partida de exibição contra o espanhol Rafael Nadal, seu grande rival, acompanhou o prefeito de Buenos Aires, Mauricio Macri, em uma visita a uma escola de educação física. O político pretendia fazer média com a torcida do clube mais popular do país, mas acabou sendo pego de surpresa para popularidade internacional conquistada pelo San Lorenzo desde o início do pontificado de Francisco.

Leia também:

Time do papa transforma Francisco em seu novo ‘craque’

Fã de futebol, papa acumula coleção invejável de camisas

Macri, que foi presidente do Boca entre 1995 e 2007, quis aproveitar para conquistar mais um torcedor famoso para seu time e deu ao tenista uma camisa da equipe com o nome do sérvio nas costas. A escola visitada por eles fica em frente à sede do San Lorenzo, e Djokovic viu uma camisa do clube. O tenista não rejeitou o uniforme do Boca, mas pediu também uma camisa do San Lorenzo: “Quero a do papa Francisco”, disse. Os professores correram para conseguir a peça e a ofereceram a Djokovic antes que ele fosse embora. Empolgado com a preferência do sérvio – e com o fato de o Boca, odiado por todas as outras torcidas argentinas, ter ficado de lado -, o presidente do San Lorenzo, Matías Lammens, anunciou no Twitter que o clube contava com um novo sócio e publicou uma foto da carteira de Djokovic.

(Com agência EFE)