Clique e assine a partir de 9,90/mês

Nos pênaltis, Corinthians vence e chega à final do Paulista

Ganso e Luís Fabiano erraram cobranças decisivas e Pato encerrou a disputa

Por Da Redação - 5 May 2013, 18h05

O Corinthians será o adversário do Santos na decisão do Campeonato Paulista. O atual campeão do mundo derrotou o São Paulo nos pênaltis por 4 a 3, neste domingo, no Estádio do Morumbi. No tempo normal, houve empate sem gols no clássico. Paulo Henrique Ganso e Luís Fabiano, dois dos principais nomes do clube tricolor, erraram suas cobranças; Alessandro desperdiçou para o Corinthians. Pato marcou o gol decisivo. Com o resultado, o time treinado por Tite ganha fôlego para vislumbrar uma reação na Copa Libertadores da América, considerada a competição mais importante do primeiro semestre – a equipe precisa derrotar o Boca Juniors em casa. Ao São Paulo, só resta ainda mais pressão no próximo duelo na competição sul-americana, quando encara o Atlético-MG, em Minas Gerais, precisando vencer por dois gols. A primeira partida da decisão do estadual acontece no próximo domingo, provavelmente no Pacaembu. O segundo e decisivo confronto será no dia 19, ainda sem local definido.

Leia também:

No sufoco, Santos bate Mogi Mirim e vai à final do Paulista

Antecipando uma provável escalação para o duelo decisivo na Libertadores, o técnico Ney Franco colocou Luís Fabiano entre os titulares e deixou o zagueiro Lúcio – expulso na derrota para o Atlético, no Morumbi – entre os reservas. Tite, por sua vez, escalou Danilo, dúvida minutos antes do duelo, e deixou Alexandre Pato como opção no banco durante o clássico. As mudanças beneficiaram o time de melhor campanha na competição, que acabou criando a primeira grande chance com Luís Fabiano. Aos oito minutos, atacante recebeu a bola na entrada na área e chutou forte para boa defesa de Cássio. O bom começo do dono da casa, no entanto, foi interrompido após lesão de Osvaldo. Um dos principais nomes do clube na temporada teve de deixar o campo depois de um choque com o zagueiro Gil. A entrada de Douglas mudou o esquema tático de Ney Franco.

Continua após a publicidade

Mesmo assim, o clube mantinha o domínio da partida, ainda que sem produzir ataques perigosos ao goleiro Cássio. As ações ofensivas eram interrompidas muito em função da linha de impedimento executada pela zaga corintiana. Em uma dessas iniciativas, Luís Fabiano teve um gol anulado corretamente. Ao todo, foram quatro impedimentos na primeira etapa – três só do artilheiro tricolor. O Corinthians, por sua vez, só levou perigo ao gol de Rogério Ceni aos 25 minutos, quando Romarinho ergueu bola venenosa na área após uma cobrança de falta. Quinze minutos depois, o Corinthians voltou ao ataque e também teve seu gol anulado. Gil, adiantado, aproveitou uma rebatida de bola na área e marcou. O árbitro do duelo marcou, mais uma vez acertadamente, o impedimento.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

A segunda etapa foi marcada por ações ofensivas apenas após os dez primeiros minutos, quando o Corinthians começou a apresentar ligeira vantagem. Uma chance clara de gol aconteceu aos onze, quando Emerson parou nas mãos de Rogério Ceni. A dificuldade de passar pela zaga tricolor e a falta de chutes ao gol provocaram mudanças no ataque corintiano: o peruano Guerrero deu lugar a Alexandre Pato. A troca, contudo, não surtiu efeito: o Corinthians perdia, por ora, o controle do jogo e deixava o São Paulo voltar ao ataque. Aos 20 minutos, Cássio fez grande defesa após cabeceio de Paulo Miranda. O restante do confronto foi marcado por muitas faltas, reclamações de ambos os lados e um grande equilíbrio entre as duas equipes.

Publicidade