Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nos EUA, Brasil testa formação renovada contra Colômbia

Mano volta ao estádio onde estreou - e só cinco atletas continuam na equipe

“Eles estão muito fortes. Não queremos perder de jeito nenhum. Vamos encarar como um jogo valendo três pontos”, afirmou Neymar

Pouco mais de dois anos depois de sua primeira partida como técnico da seleção brasileira, Mano Menezes volta ao palco da estreia nesta quarta-feira, para comandar a equipe pela terceira vez no Estádio MetLife, em Nova Jersey. No primeiro jogo, em 2010, logo depois de assumir o comando do time, Mano conseguiu uma vitória contra os Estados Unidos. Já neste ano, o Brasil voltou ao local para encarar a Argentina e acabou sendo derrotada. No amistoso desta quarta, às 22h30 (no horário de Brasília), a adversária será a seleção da Colômbia, que está em terceiro lugar nas Eliminatórias da América do Sul para a Copa do Mundo de 2014. Do primeiro time montado por Mano na seleção, apenas cinco jogadores devem entrar em campo contra os colombianos – o lateral-direito Daniel Alves, os zagueiros David Luiz e Thiago Silva, o volante Ramires e o atacante Neymar.

“Acho normal ficarmos com este porcentual de jogadores remanescentes. Alguns se confirmaram, outros não”, disse o técnico na véspera da partida. Ao todo, o treinador já convocou 102 jogadores para 31 partidas. Mano argumenta que o número elevado se deveu em parte às partidas contra a Argentina pelo Superclássico das Américas, em que pode chamar apenas atletas que atuam no Brasil. A seleção já disputou duas edições do minitorneio (a deste ano ainda será decidida, na semana que vem). Na avaliação do técnico, a seleção atingiu nota “7 ou 8”, em uma escala de zero a dez, desde que ele assumiu o cargo. O time vinha em má fase até os dois amistosos recentes contra Japão e Iraque. Com Kaká de volta à equipe titular e uma formação ofensiva diferente, a equipe evoluiu bastante – e o jogo desta quarta servirá para testar mais uma vez essa nova fórmula.

Leia também:

Jogo da seleção atrai pouco interesse nos Estados Unidos

Em nova fase, seleção volta a jogar bem e goleia o Japão

Mano se diz ‘mais contente’ com nova cara de sua equipe

Preocupado com a seleção, Ronaldo ameaça: ‘Vou voltar’

O adversário desta quarta em Nova Jersey é um dos mais complicados que Mano enfrentará ao longo dos 28 meses de sua gestão. “Será uma equipe que exigirá muito da gente e tem um padrão sul-americano, com mais competitividade”, avaliou. Ainda segundo ele, o atacante Falcao Garcia, um dos melhores jogadores do futebol europeu na atualidade, “necessitará de um cuidado especial”. Neymar também avalia que será uma partida difícil. “Eles estão muito fortes. Não queremos perder de jeito nenhum. Vamos encarar como um jogo valendo três pontos”, afirmou o craque. Neymar está confirmado no time titular, que pode ter duas surpresas: Thiago Neves no lugar de Hulk, machucado, e Leandro Castán improvisado na lateral esquerda, na vaga de Marcelo, também contundido. As substituições mais naturais seriam Lucas, do São Paulo, e Fábio Santos, do Corinthians.

O Brasil vem de seis vitórias seguidas desde que perdeu a final da Olimpíada de Londres. Os adversários, porém, eram frágeis com exceção da Argentina, que jogou sem seus principais atletas, no primeiro jogo do Superclássico. Até por isso, o amistoso é considerado muito importante para a definição da equipe com vistas à Copa das Confederações de 2013. Depois da virada de ano, o Brasil retoma seus preparativos para o torneio, considerado o ensaio geral para a Copa do Mundo de 2014, jogando um amistoso contra a Inglaterra, em Wembley, em fevereiro. A agenda da seleção prevê poucas partidas antes da disputa do torneio, em 15 de junho. Na Copa das Confederações, o Brasil poderá ter a chance de medir forças com algumas das seleções mais bem cotadas para o Mundial de 2014, como Espanha, Itália e Uruguai.

Leia também:

Seleção aguarda chance de medir forças com os grandes

Decepção na Argentina sela um ano perdido para a seleção

Seleção alcança sua pior colocação no ranking da Fifa: 14º

‘Dona’ da seleção até 2022 está sob suspeita de corrupção

(Com Estadão Conteúdo)