Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nos EUA, Brasil empata com a Colômbia no milésimo jogo

A seleção saiu perdendo e empatou com Neymar - que perdeu pênalti no final

Depois de empatar o jogo em bela jogada individual, Neymar bateu pênalti de forma bisonha e desperdiçou a chance de dar a vitória ao Brasil em Nova Jersey

Depois de seis vitórias consecutivas contra adversários de qualidade questionável, a seleção brasileira enfim encontrou um desafio pela frente na noite desta quarta-feira, no Estádio MetLife, em Nova Jersey, nos Estados Unidos. Jogando contra a competente equipe da Colômbia, que atravessa ótima fase e está entre as líderes das Eliminatórias da Copa na América do Sul, a equipe do técnico Mano Menezes só empatou: 1 a 1, gols de Cuadrado no primeiro tempo e Neymar no segundo. O principal jogador do Brasil ainda perdeu um pênalti na etapa decisiva. Sob frio e com o estádio sem sua lotação completa, a seleção festejou o milésimo jogo de sua história, iniciada em 1914, num amistoso bastante disputado e equilibrado. A atuação do Brasil foi bem mais discreta do que nas partidas anteriores, contra Japão e Iraque, seleções mais frágeis – e serviu para Mano Menezes enfim testar de verdade o momento de sua equipe. Resultado da avaliação: o Brasil evoluiu nos últimos meses, mas ainda tem muito a melhorar antes da disputa da Copa das Confederações do ano que vem e principalmente do Mundial de 2014. Antes de iniciar a próxima temporada, o Brasil ainda disputa a partida decisiva do Superclássico das Américas, na próxima quarta, em Buenos Aires, só com jogadores em atividade no Brasil.

Ficou claro logo no início do jogo que o Brasil não teria contra a Colômbia a mesma facilidade que encontrou nos últimos amistosos, contra Iraque e Japão. Além de enfrentar uma marcação mais firme, que não deixava tantos espaços para as tabelas entre Kaká, Oscar e Neymar, a seleção tinha sua defesa testada nas jogadas articuladas por Macnally Torres, James Rodriguez e o artilheiro Falcao Garcia. Nos primeiros quinze minutos, a equipe colombiana chegou duas vezes com perigo à área brasileira. Aos 17, o Brasil respondeu com sua primeira boa chance de gol, num chute da entrada da área que Kaká mandou para fora. Treinada pelo argentino José Pekerman, técnico da seleção de seu país na Copa de 2006, a Colômbia enfrentava o Brasil de igual para igual. Aos 23 minutos, Neymar recebeu cruzamento pelo alto, sozinho, e cabeceou à queima-roupa, para grande defesa do goleiro Ospina. Aos 31, a seleção criou mais uma ótima chance, quando Kaká recebeu de Neymar e bateu por cobertura, acertando o travessão. Os dois, aliás, eram os melhores do quarteto ofensivo brasileiro – Oscar estava mais discreto que nas últimas partidas e Thiago Neves, escolhido para ser o substituto de Hulk, machucado, custava a achar seu lugar no campo.

Leia também:

Amistoso é milésimo jogo da seleção – nas contas da CBF

Jogo da seleção atrai pouco interesse nos Estados Unidos

Em nova fase, seleção volta a jogar bem e goleia o Japão

Mano se diz ‘mais contente’ com nova cara de sua equipe

A competitividade do time colombiano também ajudou a testar a nova dupla titular de volantes de seleção, formada por Paulinho e Ramires – que gostam de sair para o jogo e não se limitam a marcar. Para reforçar a proteção à defesa, Mano Menezes escalou o zagueiro Leandro Castán na lateral esquerda. Não adiantou: aos 43 minutos, justamente no setor de Castán, Rodriguez lançou Cuadrado, que chutou cruzado e abriu o placar. Foi o primeiro gol sofrido pelo goleiro Diego Alves, hoje o titular da seleção, em seis jogos pela equipe. A seleção desceu para os vestiários lamentando o fato de ter perdido as melhores chances de gol e sofrido um gol num vacilo do setor defensivo. Na volta para a segunda etapa, o Brasil repetiu o mesmo problema: logo no primeiro minuto, Kaká fez uma linda jogada pelo meio e acionou Neymar, que bateu colocado. Ospina fez linda defesa. O Brasil enfrentava problemas para criar novas oportunidades de gol – Mano Menezes já se preparava para colocar Leandro Damão em campo – quando, aos 18 minutos, Neymar enfim conseguiu vencer Ospina. Em jogada individual pela esquerda, o craque brasileiro enganou a zaga e bateu com sutileza, no canto, empatando o jogo.

Com a igualdade no placar, a Colômbia voltou a tentar agredir o Brasil – e Mano desistiu da entrada de Damião, preferindo apostar na velocidade de Lucas, que substituiu Thiago Neves. Aos 33 minutos, numa bela tabela com Paulinho, Daniel Alves invadiu a área e foi derrubado pelo lateral Armero, sofrendo pênalti. Neymar teve a chance de garantir a vitória, mas bateu de forma bisonha, chutando metros acima do travessão. Cinco minutos depois, David Luiz bateu falta com perigo, mas também não conseguiu virar o placar. Nos minutos finais, Oscar deu lugar a Giuliano, que não teve tempo de ajudar a seleção a mudar o placar. Depois do segundo jogo do Superclássico das Américas – em que o Brasil precisa de apenas um empate para conquistar o troféu, já que venceu a partida de ida, em Goiânia -, a seleção encerra suas atividades no ano. Volta a se reunir em fevereiro, para mais uma partida contra um oponente de bom nível: um amistoso contra a seleção inglesa, no Estádio de Wembley, em Londres. A Copa das Confederações acontece a partir de 15 de junho. Até lá, Mano Menezes espera medir forças com mais equipes tradicionais – fala-se em mais um amistoso contra a Inglaterra, no Maracanã, e em pelo menos mais um clássico ainda no primeiro semestre.

Leia também:

Seleção aguarda chance de medir forças com os grandes

Mano chama Fred e mais quatro do Flu para Superclássico

Brasil sobe apenas uma posição no ranking da Fifa: 13º

‘Dona’ da seleção até 2022 está sob suspeita de corrupção