Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No Twitter, Luis Fabiano garante empenho a quem o critica e ironiza

Luis Fabiano tem evitado entrevistas desde quarta-feira, quando se irritou ao ser chamado de ‘pipoqueiro’ por parte da principal organizada do São Paulo e prometeu ‘repensar’ sua situação e procurar a diretoria. Nesta segunda-feira, porém, o atacante resolveu se manifestar no Twitter. E avisou os críticos: não faltará empenho.

‘Os que quiserem criticar e ironizar têm o direito. O importante é que, no tempo que estiver com essa camisa, seguirei me entregando ao máximo’, escreveu o jogador em sua conta no microblog, onde não publicava nada desde um desejo de boas-vindas a Ney Franco há 18 dias.

A Tricolor Independente usou seu Twitter nesse domingo para ironizar o centroavante, já que o time venceu o Figueirense sem ele, e divulgou que mostrará, no domingo, um ‘bandeirão Fabuloso’ no Morumbi, contra o Flamengo, sem dar detalhes. ‘Quero agradecer à grande parte dos torcedores que sempre me apoiaram e continuam me apoiando aqui no São Paulo’, respondeu Luis Fabiano.

Alegando dores na coxa esquerda, o camisa 9 tem ficado apenas no Reffis desde quinta-feira, dia seguinte ao protesto que o enervou. Também não deve enfrentar o Atlético-GO nesta quarta-feira, no Serra Dourada e, na sexta-feira, teve uma conversa com o vice-presidente de futebol João Paulo de Jesus Lopes no CT da Barra Funda, além de ter procurado o presidente Juvenal Juvêncio. O tema não foi revelado.

Já a organizada se manifestou novamente nesta segunda-feira. Em carta assinada pela diretoria da Tricolor Independente e publicada no site oficial da torcida, foi feita uma convocação aos torcedores para comparecerem às 14 horas (de Brasília) de domingo na Praça Roberto Gomes Pedrosa para entoar apoio à equipe com bandeiras e baterias antes do jogo contra o Flamengo.

Uma reunião na sede da organizada definiu que será manifestado ‘apoio total e absoluto ao São Paulo FC e seus jogadores, todos os jogadores’, pedindo a presença de torcida no domingo. ‘Um time grande precisa ter uma torcida grande; não adianta termos 22 mil torcedores de Twitter e Facebook e 6 mil durante um jogo no Morumbi.’

Sem citar nomes de atletas, os revoltados exigiram maior dedicação. ‘O que nunca permitimos e não vamos permitir jamais é que façam ‘corpo mole’ quando estes estiverem vestindo a nossa sagrada e soberana camisa, o que vale para todo e qualquer jogador’, disse o comunicad

‘Não podemos aceitar times de menor expressão no futebol sendo campeões debaixo dos nossos narizes, com elencos mancos e capengas, mas que demonstram o mínimo de vontade de jogar, em função de toda estrutura que o São Paulo FC oferece não podemos deixar de protestar para que joguem no mínimo com raça. E é isso que vamos cantar em todos os jogos daqui para a frente: raça’, avisou a organizada.