Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No sufoco, Atlético-PR vence o Sampaio Corrêa e se classifica

Foi no sufoco, com um placar magro, mas o Atlético Paranaense garantiu a vaga para a segunda fase da Copa do Brasil ao vencer o Sampaio Corrêa por 1 a 0, na Vila Capanema. No primeiro confronto, na última semana, o os maranhenses venceram por 2 a 1, mas foram prejudicados pelo gol tomado em casa.

Depois de um primeiro tempo ruim, o Furacão conseguiu abrir o placar depois do intervalo, aos 19 minutos, em jogada trabalhada entre Guerrón e Paulo Baier, que encontrou Marcinho na área para balançar as redes. E foi só.

O adversário do Atlético Paranaense na próxima fase da competição, que vale uma vaga na Libertadores da América, será o Criciúma-SC, que passou pelo Madureira já na primeira partida ao vencer por 2 a 0.

O jogo -Superior ao adversário, o Rubro-Negro rapidamente tomou para sai as ações da partida. Aos três minutos, Bruno Furlán arriscou de longe, sem perigo algum. Quem esteve mais próximo de abrir o placar foi o maestro Paulo Baier, que recebeu passe açucarado de Harrison e chutou colocado, pela linha de fundo. O experiente meia tentou mais uma vez aos 11 minutos e isolou.

A equipe maranhense segurava o Furacão como podia, com o ferrolho armado para buscar o empate. Com isso, o time da casa tinha dificuldades para criar. Aos 19 minutos, Harrison recebeu na cara do gol e chutou para grande defesa de Rodrigo Ramos. Aos 20 minutos foi a vez de Bruno Furlán testar o goleiro, que se saiu bem. O gramado pesado por conta da chuva atrapalhava um pouco o ritmo.

Em uma rara chegada do Sampaio, aos 28 minutos, Edgar arrumou para Kléo, que chutou para muito longe. Mesmo com muita bola pra rolar, os jogadores atleticanos mostravam muita ansiedade. Aos 38 minutos, Paulo Baier chutou no cantinho e Rodrigo Ramos foi buscar. Mais uma defesa do goleiro aos 41 minutos em chute cruzado de Bruno Furlán.

Na segunda etapa, o Furacão voltou com o equatoriano Guerrón no lugar de Bruno Mineiro. Mas a primeira chance foi do Sampaio Corrêa, com Kléo, que acertou um chute no ângulo, obrigando Rodolfo a fazer um milagre. Na resposta, aos seis minutos, Guerrón bateu de longe e a bola passou com perigo. Fora das quatro linhas, o técnico Juan Carrasco não escondia o nervosismo.

Guerrón entrou para dar mais movimentação e conseguiu. Aos 12 minutos, partiu para a jogada individual, errando apenas o arremate. A tensão já tomava conta da Vila Capanema quando, aos 19 minutos, o equatoriano tocou para Paulo Baier que cruzou para Marcinho, que só teve o trabalho de desviar para o fundo das redes. Kléo, aos 21 minutos, cobrou falta no canto e Rodolfo agarrou.

O Atlético melhorou na partida, aproveitando os espaços deixados pelo adversário, que precisava do empate. Aos 29 minutos, Marcinho mandou o petardo e a bola carimbou a trave. Paulo Baier, em cobrança de falta, quase ampliou, aos 38 minutos, parando nas mãos do goleiro Rodrigo Ramos. Aos 41 minutos, Guerrón tentou o toque por cobertura e perdeu o gol. Era noite de placar magro.