Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

No novo ‘Duro de Matar’, 132 carros viraram sucata

<p>Veículos foram destruídos em cenas de perseguição; custo foi de US$ 11 milhões</p>

Por Da Redação Atualizado em 11 jan 2022, 21h55 - Publicado em 4 mar 2013, 13h58

Um Bom Dia para Morrer, o quinto e mais novo filme da franquia Duro de Matar, estrelada mais uma vez por Bruce Willis, na pele do incansável policial John McClane, custou 92 milhões de dólares para ser rodado. Deste total, cerca de 11 milhões de dólares foram consumidos pelos carros destruídos nas cenas de perseguição. Nada menos que 132 veículos viraram sucata durante as filmagens, e sem a intervenção de efeitos computadorizados. Tudo real. E entre as vítimas está um Lamborghini legítimo e vários modelos Mercedes-Benz, uma das empresas parceiras da produção.

Leia também:

Isabela Boscov comenta novo ‘Duro de Matar

Três brasileiros já encomendaram novo Lamborghini de R$ 3 milhões

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

De acordo com o diretor do filme, John Moore, ao todo 518 veículos sofreram todo tipo de dano, a maioria deles passível de conserto. “Cada sequência de Duro de Matar precisa ser mais ambiciosa. Às vezes é preciso destruir até um Lamborghini. Um de verdade. Isso me deixa chateado, sinceramente, pois adoro carros”, explicou Moore. “Me mostraram o quanto gastamos só com as perseguições e não foi pouco. Tudo somado, são 11 milhões de dólares”.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga Veja Esporte no Twitter

Mas mesmo após a “façanha”, o quinto filme da série Duro de Matar não conseguiu superar Junkman, uma produção americana filmada em 1982, e ainda recordista de veículos destruídos em cenas de perseguição. Junkman contabilizou 150 vítimas motorizadas, incluindo um Cadillac Eldorado, dois Dodge Magnum, vários barcos, caminhões, motocicletas, além de dois aviões monomotor Pitt usados em exibições acrobáticas. A marca rendeu um registro no Guinness, o Livro dos Recordes. Em Duro de Matar 5, Um Bom Dia para Morrer, o policial John McClane viaja para Moscou, na Rússia, em busca do filho Jack e acaba se envolvendo em uma trama terrorista – óbvio. A sequência celebra os 25 anos do primeiro Duro de Matar, exibido em 1988.

https://youtube.com/watch?v=uTbpylDxYyI

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Publicidade