Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No Horto, festa atleticana termina em lágrimas e desespero

Torcedores que foram ao Estádio Independência para assistir à semifinal em telões sofreram no mesmo palco onde o time brilhou no primeiro semestre

A torcida do Atlético-MG que não conseguiu acompanhar o time no Marrocos mandou energias positivas para a equipe direto do Estádio Independência, que virou a casa do clube nesta temporada. O gigante do Horto – palco de algumas das façanhas mais impressionantes do time nesta temporada, em especial na Libertadores – recebeu telões e um grande público que assistiu à semifinal em meio a muita festa. Mas os fanáticos atleticanos acabaram sofrendo uma enorme decepção com a derrota histórica no Mundial de Clubes para o Raja Casablanca. O jogo foi dramático para os torcedores, que ficaram perplexos com a atuação do Atlético no Marrocos. O gol de falta de Ronaldinho, no momento em que o Galo perdia por 1 a 0, deu um pouco de esperanças para milhares de alvinegros, o time porém, seguiu sem corresponder as expectativas e levou milhares as lágrimas no Independência.

Leia também:

Atlético-MG é eliminado pelo Raja Casablanca por 3 a 1

‘É duro’, diz Ronaldinho após a noite bizarra em Marrakesh

“O Atlético-MG esqueceu o futebol em Belo Horizonte. Nada que o time costuma fazer ele conseguiu colocar em prática lá, e ainda demos a possibilidade de contra-ataque para eles. Parece que a cabeça já estava no Bayern de Munique. Faltou humildade para respeitar o Raja e tropeçamos na soberba”, disse o assistente administrativo Ricardo Lopes, um dos torcedores que foram ao estádio nesta quarta. Já o dentista Daniel Martins entende que o time do técnico Cuca ainda não aprendeu a jogar fora do Independência. “Fora de casa o Atlético-MG não consegue jogar. Vários jogadores sentiram o peso da decisão e não conseguiram render. Fica a lição que temos de que ser mais humildes, e que a equipe ainda precisa melhorar. Vou para a casa triste. Para mim foi um vexame”, lamentou, em meio a torcedores que enxugavam as lágrimas na saída.

(Com agência Gazeta Press)