Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No duelo da camisa 10, James é mais letal que Neymar

Eles têm 22 anos, vestem a camisa 10 e são os craques de suas equipes nesta Copa do Mundo. Na sexta-feira, no Castelão, em Fortaleza, ficarão frente a frente para brigar por uma vaga entre as quatro melhores seleções do planeta. Beneficiado por uma trajetória bem menos atribulada na competição, o colombiano James Rodríguez soma números melhores, com destaque para sua precisão e poder de decidir um jogo. Neymar, no entanto, também chega para o duelo de quartas de final como um astro de primeira grandeza na Copa – só que tendo atravessado um caminho bem mais sofrido e desafiador, com uma estreia dura contra a Croácia e batalhas contra México e Chile. James, que explodiu no Banfield, da Argentina, passou também pelo Porto e custou 45 milhões de euros ao Monaco. Soma 26 partidas pela seleção adulta da Colômbia e dez gols marcados. Neymar, cria do Santos e contratado por 57 milhões de euros (declarados na transferência) pelo Barcelona, já tem 53 jogos e 35 gols pela seleção do Brasil. Neste Mundial, James conta cinco gols e duas assistências, tendo participado de sete dos onze gols de sua equipe. Se marcar contra o Brasil, ele será o primeiro atleta desde Rivaldo em 2002 a balançar as redes nas cinco primeiras partidas de uma Copa. Neymar, por sua vez, tem quatro gols, metade dos oito anotados pelo Brasil, e nenhuma assistência.

Leia também:

Brasil vai encarar um ex-freguês que tem endurecido o jogo

A ‘três degraus do céu’, Brasil vai encarar equipe iluminada

Brasil enfrentará técnico argentino que está invicto na Copa

Seleção das oitavas: seis europeus e cinco sul-americanos

Fim das oitavas tem drama, recordes e líderes classificados

Os adversários que cruzaram os rumos de brasileiros e colombianos no torneio foram bem diferentes – o time da casa pegou duas seleções que renderam mais do que se previa (México e Chile), enquanto a equipe do técnico argentino José Pekerman venceu com relativa facilidade dois times que decepcionaram (Costa do Marfim e Japão). Além disso, os colombianos encararam um Uruguai abalado pela suspensão do craque Luís Suárez. Mesmo levando isso em conta, a comparação dos números dos astros do jogo de sexta dá a vantagem à grande surpresa do Mundial. Neymar jogou mais minutos (369 contra 310), já que teve de enfrentar uma prorrogação e foi titular nas quatro partidas (James foi reserva contra o Japão, um jogo em que a Colômbia poupou seus titulares – ele entrou no decorrer da partida e voltou a balançar as redes). Enquanto o brasileiro marcou uma vez a cada 92 minutos em média, o aproveitamento do colombiano é ainda mais notável: um gol a cada 62 minutos em campo. Neymar finalizou mais vezes, nove contra sete de Rodríguez, mas foi menos preciso nos arremates, 82% contra 87% de acerto nos chutes. James também acertou mais cruzamentos, 36% contra 25% do brasileiro. Neymar sofre mais faltas (�catorze a seis até agora). Cometeu� uma infração a menos, sete a oito – mas está pendurado com o cartão amarelo. O colombiano efetuou mais passes, 155 contra 131, mas Neymar foi ligeiramente mais preciso, 81% contra 80%, além de ter vencido mais disputas de bola, 36 contra 23 de James (o brasileiro levou a melhor em 48% das jogadas divididas, contra 42% do rival). Apesar da vantagem do colombiano em algumas das principais estatísticas, fica claro que a briga é de altíssimo nível – e que o camisa 10 do Brasil está longe de ser coadjuvante no duelo com o artilheiro do Mundial.

(Giancarlo Lepiani, de Fortaleza)