Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No Clássico das Emoções, Santa Cruz vence e Náutico se complica

No ‘Clássico das Emoções’ realizado na tarde deste domingo no estádio do Arruda, o Santa Cruz garantiu a vitória por 1 a 0, gol marcado por Renatinho, e evitou que o Náutico conquistasse sua classificação para as semifinais do Campeonato Pernambucano. Além disso, o Tricolor aumentou a pressão sobre o técnico Waldemar Lemos, que completou cinco partidas sem vitória e corre o risco de ser dispensad

Único do ‘Trio de Ferro’ a não garantir sua vaga na última rodada, o time permanece no quarto lugar com 35 pontos, seis a mais que o Petrolina, que também venceu na rodada, mas precisa de um verdadeiro milagre para tirar a vaga do Timbu, que teme enfrentar o líder Sport nas semifinais

Na próxima rodada, a penúltima do Campeonato Pernambucano, que será disputada no sábado, o Náutico recebe o Serra Talhada nos Aflitos e o Santa Cruz encara o lanterna e já rebaixado América, novamente no Arruda.

O Jogo – Nos primeiros minutos de bola rolando, o domínio da posse de bola foi do Náutico, que envolvia o adversário em tabelas longas pelo chão, mas não conseguia fazer pressão. O principal defeito dos visitantes no início da partida era a lentidão dos atacantes e a falta de criatividade do meio-campo, sem opções de passe.

Com o jogo bastante equilibrado e truncado, as equipes tinham dificuldade para investir em jogadas individuais e, aos dez minutos de jogo, o Santa Cruz resolveu adiantar a marcação sob os gritos de Zé Teodoro e passou a acuar o inofensivo Timbu. Depois da defesa segura do estreante Felipe, aos 15 minutos, o gol não demorou a sair.

Na primeira investida forte do Santa Cruz, Geílson deu uma caneta em Elicarlos e tocou para Dênis Marques, na entrada da área. O atacante tentou chutar em direção ao gol, mas foi travado pelo marcador, girou, e serviu Renatinho, que aparecia pelo lado esquerdo da área sem a marcação de Auremir. Com um chute seco, no ângulo do goleiro Felipe, o Tricolor abriu o placar no Arruda.

Mais tarde, aos 29 e aos 32 minutos, Eduardo Ramos teve boas oportunidades de empatar, mas acertou a defesa do Santa Cruz na primeira e obrigou Tiago Cardoso a praticar a defesa na outra. Aos 36, mais uma chance do Náutico, dessa vez com Lenon, que arriscou de fora da área e viu o goleiro do Santa mandar para escanteio.

No último lance do primeiro tempo, foi a vez de Dênis Marques arriscar uma bicicleta depois de ficar com a sobra e obrigar o ex-santista Felipe a se esticar para defender. O Náutico demorou a se acertar e equilibrar a partida.

Na etapa complementar, o Timbu veio com vontade de empatar, mas os atacantes Dori e Siloé não desviavam da marcação da Cobra Coral e foram irritando o técnico Waldemar Lemos. Aos seis, Dori fez um giro dentro da área e quase igualou a contagem mas, dois minutos depois disso, recebeu passe de Jeferson, se enrolou com a bola e caiu dentro da área. No minuto seguinte, o atacante foi substituído por Léo, que fazia sua estreia pelo Timbu.

Depois de rondar a área do Náutico por mais de 20 minutos, o Santa Cruz diminuiu o ritmo e resolveu segurar a bola no campo de ataque, mas sem pressionar. Em uma de suas raras oportunidades, o Timbu chegou perto de empatar com cabeceada de Marquinho após cruzamento de Siloé, mas não passou disso.