Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

No adeus de Beckham, lágrimas e vitória do PSG

Time bateu o Brest por 3 a 1 na última rodada do Campeonato Francês com direito a gol de falta - de Ibrahimovic

Por Da Redação 18 Maio 2013, 19h51

Campeão francês antecipado, o Paris Saint-Germain venceu o Brest por 3 a 1 neste sábado, no estádio Parque dos Príncipes, em Paris, no jogo que marcou a despedida do astro David Beckham. O astro inglês de 38 anos saiu de campo sem conseguir conter as lágrimas ao ser substituído, no segundo tempo. A fatura já tinha sido liquidada desde a etapa inicial, com dois gols de Ibrahimovic, um deles numa espetacular cobrança de falta, bem à maneira dos bons tempos de Beckham, e outro de Matuidi. Benschop descontou aos 36 minutos do segundo tempo, e antes de o PSG dar a saída, Beckham foi homenageado, diante de casa cheia e com a mulher, Victoria Adams, e os filhos nas arquibancadas.

Leia também:

No meio do mato, um centro de treinamento de pôquer

Federer e Nadal voltam a fazer decisão após dois anos

Revelado no Manchester United na mesma geração de Paul Scholes, que acaba de se aposentar, e Ryan Giggs, que permanece em campo, todos sob o comando do também recém-aposentado Alex Ferguson, Beckham defendeu ainda Real Madrid, Los Angeles Galaxy e Milan em sua carreira, além da seleção inglesa, na qual é o segundo jogador com mais atuações: são 115 partidas, menos apenas que as 125 do ex-goleiro Peter Shilton, e três Copas do Mundo, 1998, 2002 e 2006 – em 2010, se contundiu antes do Mundial e foi à África do Sul como membro da comissão técnica.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Em duas décadas de carreira, Beckham se destacou pela competência nas jogadas de bola parada, pela dedicação em campo e, claro, pelo visual, praticamente levando o estilo metrossexual para o futebol. Ele ainda nao sabe o que vai fazer, mas receberá em breve um convite do dono do PSG, Nasser Al-Khelaïfi, para permanecer ligado ao clube. “Nas próximas três semanas vamos ver se conseguimos assinar um acordo com ele. Esperamos continuar trabalhando com ele e as portas para isso estão abertas”, disse o dirigente, que também deixou escapar algumas lágrimas durante a homenagem deste sábado. Na semana que vem, o PSG se despede do francês diante do Lorient, fora de casa.

(Com agências EFE e Gazeta Press)

Continua após a publicidade
Publicidade