Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Nike anuncia fim do Projeto Oregon após escândalo de doping

Líder do grupo de elite patrocinado pela marca, técnico Alberto Salazar foi suspenso por quatro anos por "incitação" ao doping

A Nike anunciou nesta sexta-feira, 11, o plano de acabar com o Projeto Oregon, uma semana depois da suspensão do técnico de atletismo Alberto Salazar, que comandava o trabalho, por infringir regras antidoping.

“Esta situação, somada a outras acusações sem fundamento, é uma distração para muitos atletas e compromete sua capacidade de se concentrar em suas necessidades de treinamento e competição”, afirmou o presidente da empresa americana de material esportivo, Mark Parker, em uma mensagem interna a seus colaboradores. “Portanto, eu tomei a decisão de encerrar o Projeto Oregon”, completou.

Vários atletas, incluindo a fundista americana Kara Goucher, que treinou pela Nike entre 2004 e 2011, defenderam o encerramento do Projeto Oregon em consequência das práticas de Salazar.

“Se eu fosse a Nike, traria alguns treinadores novos e deixaria o Projeto Oregon para trás, porque está claro que os princípios não estavam alinhados com o esporte limpo e precisamos começar de novo”, afirmou Goucher, que prestou depoimento contra Salazar.

Na semana passada, Salazar foi suspenso por quatro anos por “incitação” ao doping pela Agência Antidoping dos Estados Unidos (Usada). O treinador cubano naturalizado americano era o líder do Projeto Oregon, um grupo de elite patrocinado pela Nike criado em 2001. O principal “garoto-­propaganda” de Salazar era o fundista britânico Mohamed Farah. Juntos, conquistaram quatro ouros olímpicos e seis títulos mundiais.

Injeções de aminoácidos (para queimar gordura), experimentos com testosterona ou documentos médicos falsificados foram algumas evidências levantadas pela investigação de seis anos da Usada, que evidenciou uma série de excessos de Salazar, um ex-atleta que se tornou o técnico de atletismo mais famoso do mundo.