Clique e assine com até 92% de desconto

Nico Rosberg conquista no GP da China sua primeira vitória na F1

Por Mark Ralston 15 abr 2012, 13h59

O piloto alemão Nico Rosberg, da Mercedes, conseguiu neste domingo a primeira vitória de sua carreira na Fórmula 1 ao conquistar o Grande Prêmio da China, a terceira prova do Mundial da modalidade, disputada no circuito de Xangai, superando os britânicos da McLaren, Jenson Button (2º) e Lewis Hamilton (3º).

O brasileiro Bruno Senna (Williams) fez uma boa corrida: depois de largar em 14º, chegou em 7º, conseguindo marcar seis pontos, superando seu companheiro de equipe, o venezuelano Pastor Maldonado (8º).

Já Felipe Massa, da Ferrari, voltou a decepcionar e terminou apenas em 13º, quatro posições atrás do outro piloto da escuderia italiana, o espanhol Fernando Alonso (9º).

O atual bicampeão mundial, o alemão Sebastian Vettel, chegou em quinto apesar de largado apenas na 11º posição do grid.

Rosberg, que liderou a prova de ponta a ponta depois de conquistar na véspera a pole position, fez uma grande largada e abriu mais de 20 segundos de vantagem em relação a seus adversários, terminando a corrida com pneus muito desgastados.

Além disso, a vitória de Rosberg é a primeira de um alemão na escuderia Mercedes, que, ao longo de sua história, só conquistou Grandes Prêmios pelas mãos do argentino Juan Manuel Fangio (8) e do britânico Stirling Moss (1).

“Foi um final de semana perfeito. É incrível, não esperava por isso. Tudo isso é muito especial para mim. Minha primeira pole e minha primeira vitória no mesmo fim de semana com esta equipe com a qual trabalho há mais de dois anos”, declarou Rosberg, visivelmente feliz e satisfeito.

“É um sentimento incrível, estou ao mesmo tempo muito feliz e muito cansado”, acrescentou o jovem piloto de de 26 anos, filho do piloto finlandês ‘Keke’ Rosberg, campeão mundial em 1982 com a Williams.

Continua após a publicidade

Os dois McLaren de Button (2º) e Hamilton (3º) e os dois Red Bull do australiano Mark Webber (4º) e Sebastian Vettel (5º), cruzaram a linha de chegada depois do piloto alemão.

Já Fernando Alonso terminou em nono, na mesma posição em que largou, somando apenas dois pontos.

“Sabíamos que ia ser uma corrida diferente, com muitas variantes, e estratégia tinha que ser perfeita. Na Malásia, foi, mas aqui as coisas não saíram bem”, lamentou o espanhol.

Button, campeão mundial em 2009, explicou o problema que sofreu na última troca de pneus e reconheceu que, mesmo que não tivesse ocorrido, não acredita que conseguiria a vitória, já que a Mercedes “foi muito rápida”.

“Houve algumas brigas por posição muito boas. Parei (nos boxes) e tive um problema na parte traseira, ficando parado uns dez segundos. Mas, no geral, aproveitei bastante”, assinalou.

Vettel, que no sábado foi eliminado na segunda rodada de classificação (Q2) e largou em 11º, perdeu posições na largada, mas depois conseguiu alcançar o ‘top-5’.

Com estes resultados, Lewis Hamilton é o novo líder do mundial, com 45 pontos, dois a mais que Button, em segundo, e oito na frente de Alonso, na frente de Webber (4º) e Vettel (5º).

A grande decepção deste GP da China foi o alemão Michael Schumacher, que largou na primeira fila, mas se viu obrigado a abandonar na volta 13, depois de voltar à pista sem que seus mecânicos tivessem terminado de apertar as porcas de um de seus pneus.

Continua após a publicidade
Publicidade