Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

NBA: Fim da dinastia dos Warriors se confirma (pelo menos por enquanto)

Com a metade da temporada regular completa, lesões tiraram o time de Curry da jogada, mas eles podem voltar ainda mais fortes

Por Danilo Monteiro - 10 jan 2020, 15h55

O Golden State Warriors dominou a NBA nos últimos cinco anos, mas a era vitoriosa, interrompida na temporada passada pelo Toronto Raptors, parece ter chegado ao fim, pelo menos por enquanto. A equipe do técnico Steve Kerr ocupa o último lugar da conferência oeste, com 9 vitórias e 30 derrotas, e sofre com lesões de seus astros Stephen Curry, que quebrou a mão esquerda e não voltará antes de março, e Klay Thompson, que rompeu um ligamento do joelho esquerdo em julho e não deve retornar nesta temporada.

Fora isso, os Warriors perderam Kevin Durant, MVP (jogador mais valioso) das finais de 2017 e 2018, para o Brooklyn Nets, mas adquiriram o talentoso armador D’Angelo Russell, que disputou seu primeiro All Star Game (jogo das estrelas) no ano passado e pode ajudar na reconstrução da dinastia na próxima temporada. Steve Kerr, inclusive, poderá se beneficiar do último lugar no oeste para fortalecer ainda mais o time. A lanterna dá boas chances de o Golden State acabar com a primeira escolha no Draft de 2020, para então selecionar o melhor jogador universitário deste ano.

O Draft, inclusive, é um ponto forte do Golden State Warriors, que já deu provas de ser um bom selecionador, afinal, a base da dinastia da franquia foi construída a partir da escolha de universitários. Em 2009, Stephen Curry, futuro MVP da NBA, foi selecionado na 7ª colocação, enquanto Klay Thompson foi a 11ª escolha de 2011. Draymond Green, principal defensor do time nos últimos anos, foi um achado ainda mais raro, pois foi escolhido apenas na segunda rodada, na 35ª posição.

Um dos problemas para a equipe da Califórnia é que, até o momento, os melhores jogadores universitários são armadores, o que pode acarretar em um congestionamento de jogadores desta posição no Golden State, que tem Curry, Thompson e Russell. A escolha no Draft, porém, pode ser negociada com outra equipe, dando aos Warriors a chance de conseguir uma estrela da liga em uma possível troca, algo que também já foi provado ser um ponto positivo da franquia, que adquiriu Durant em 2016 sem perder nenhum jogador e conseguiu Russell quando o próprio KD foi para o Brooklyn.

Publicidade

Quem assume o trono do Golden State nesta temporada?

Um dos fatores fundamentais para o surgimento de nova dinastia dos Warriors é o desempenho de seus principais adversários. Nesta temporada, diversos times se reforçaram ao saber da possível fragilidade do time de San Francisco. O Los Angeles Lakers, que ficou de fora dos últimos playoffs, adquiriu Anthony Davis para ajudar LeBron James a vencer seu quarto título. A dupla colocou os Lakers na primeira posição do oeste, com 30 vitórias e apenas sete derrotas.

Também em Los Angeles, os Clippers fizeram grande movimentação na última janela de transferências e juntaram Kawhi Leonard, campeão e MVP da última final pelo Toronto Raptors, e Paul George, estrela do Oklahoma City Thunder, que também perdeu seu ídolo, Russell Westbrook para o Houston Rockets, onde forma dupla com James Harden, o principal cestinha da liga. No leste, apesar da inexperiência em playoffs, o Milwaukee Bucks conta com o grego Giannis Antetokounmpo, atual MVP, para liderar a equipe de melhor campanha da liga, com 30 vitórias e seis derrotas na temporada. O Boston Celtics é o principal adversário dos Bucks no leste e tem grandes chances de chegar à final da NBA.

O futuro também pode reservar surpresas ao Golden State Warriors, que terá jovens concorrentes amadurecendo, como o Dallas Mavericks de Luka Doncic, o astro esloveno de apenas 20 anos que briga pelo posto de MVP da atual temporada. O Oklahoma City Thunder perdeu seus astros na última janela, mas conseguiu formar um time com jovens jogadores que, liderados pelo veterano all star Chris Paul, ocupam a 7ª colocação do oeste e se aproximam das primeiras posições.

Publicidade