Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

NBA entra em crise diplomática com a China após dirigente apoiar Hong Kong

Houston Rockets perde patrocinadores chineses e tem jogos retirados da grade da TV estatal do país asiático por conta de tuíte do gerente-geral da franquia

Um tuíte de Daryl Morey, gerente-geral da franquia Houston Rockets, participante da NBA, gerou uma enorme repercussão negativa na China. O dirigente da liga americana de basquetebol apoiou os protestos em Hong Kong – atos que levantam diversas bandeiras contra o sistema chinês.

Morey, pediu desculpas nesta segunda-feira pelo tuíte, que apagou rapidamente no final de semana, mas sua manifestação gerou revolta entre torcedores chineses e parceiros do time em um mercado crucial para a NBA.

“Não era minha intenção que meu tuíte causasse qualquer ofensa aos torcedores do Rockets e aos meus amigos na China”, tuitou Morey nesta segunda-feira.

“Estava meramente expressando um pensamento, baseado em uma interpretação, de um evento complicado”, disse, acrescentando que desde então ouviu e levou em conta outras perspectivas.

Os Rockets são muito populares na China, em especial porque contrataram em 2002 o jogador chinês Yao Ming, que se tornou um astro e ajudou a criar seguidores da NBA no país.

O tuíte inicial de Morey incluía uma imagem com a legenda “Lute Pela Liberdade. Fique ao Lado de Hong Kong”.

A mensagem levou a marca de roupas esportivas Li-Ning e o patrocinador Centro de Cartões de Crédito do Banco de Desenvolvimento Xangai Pudong (SPD Bank) a suspenderem seu trabalho com os Rockets, e os jogos do time foram tirados da grade da emissora estatal chinesa.

A postagem foi apagada mais tarde, e Morey, de 47 anos, executivo do ano da NBA em 2018, disse que suas opiniões não representam o time ou a liga.

Em um comunicado separado, a NBA disse que “admitimos que as opiniões expressadas pelo gerente-geral do Rockets, Daryl Morey, ofenderam profundamente muitos de nossos amigos e torcedores na China, o que é lamentável”.

A versão em chinês emitida pela NBA pareceu ir mais além do comunicado em inglês, dizendo: “Estamos extremamente decepcionados com os comentários inadequados feitos pelo gerente-geral do Rockets, Daryl Morey”.

A NBA acrescentou que “temos grande respeito pela história e pela cultura da China e esperamos que o esporte e a NBA possam ser usados como uma força unificadora para transpor abismos culturais e unir as pessoas”.

O furor é o exemplo mais recente de uma marca estrangeira afetada pela polêmica relativa aos protestos. Muitas marcas ocidentais, como a espanhola Zara, estão sendo forçadas a esclarecer suas posições em relação à soberania chinesa agora que os protestos de Hong Kong estão atiçando um fervor nacionalista.

(Com Reuters)