Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

‘Não sei qual é o meu limite’, diz Neymar, perseguindo Pelé

Com 40 gols pela seleção, o craque de 22 anos caminha firme para ser o maior artilheiro da história da equipe. Pelé anotou 77 em 92 jogos; Ronaldo, 62 em 98

Por Da Redação Atualizado em 30 jul 2020, 21h48 - Publicado em 14 out 2014, 11h49

O craque Neymar chegou a uma marca impressionante ao marcar quatro gols pela seleção brasileira na vitória sobre o Japão, na manhã desta terça-feira, em Cingapura. Com 40 gols em 58 jogos, ele ultrapassou o ex-atacante Bebeto, que fez 39, e já é o quinto maior artilheiro da história da equipe pentacampeã. Além disso, Neymar tornou-se o oitavo atleta a marcar quatro gols em uma mesma partida pela equipe – antes, apenas Zizinho, Ademir de Menezes, Julinho Botelho, Evaristo de Macedo, Zico (duas vezes), Careca e Romário haviam conseguido a façanha. O último havia sido Romário, em 2000. “Só de falar, fico arrepiado. A emoção é grande, é uma felicidade imensa realizar mais esse sonho. Nem nos meus melhores sonhos com a seleção eu imaginava isso. Estou muito feliz”, afirmou o astro, em entrevista à TV Globo, ao deixar o gramado do Estádio Nacional de Cingapura.

Maiores artilheiros da seleção

1º: Pelé

77 gols em 92 jogos (0,83 gols/jogo de média)

2º Ronaldo

62 gols em 98 jogos (0,63 gols/jogo de média)

3º Romário

55 gols em 70 jogos (0,78 gols/jogo de média)

4º: Zico

48 gols em 72 jogos (0,6 gols/jogo de média)

5º: Neymar

40 gols em 58 jogos (0,68 gols/jogo de média)

Com apenas 22 anos, Neymar tem um longo futuro com a camisa amarela e, se mantiver sua média de 0,68 gol por partida, seguramente poderá ultrapassar Pelé, que tem 77 gols e é o maior artilheiro da história da seleção brasileira. Com mais amistosos, Copa América e Eliminatórias para a Copa na agenda da equipe, Neymar tende a pulverizar as marcas de Romário e Zico já nos próximos dois anos. Pelé e Ronaldo ainda estão bem à frente, mas o atacante do Barcelona tem pontos que contam a seu favor nesta disputa. Além dos muitos anos e torneios que ainda deverá ter pela frente, Neymar é o principal protagonista do time, em que é batedor oficial de faltas e pênaltis. Com a ausência de um centroavante de ofício no time de Dunga, ele deve ser escalado cada vez mais próximo da meta adversária.

Continua após a publicidade

Leia também:

Neymar marca quatro e Brasil vence Japão com facilidade

Messi acha que Neymar será o melhor do mundo no futuro

Lista da Bola de Ouro sai em 28 de outubro. Quem leva?

Real daria 150 mi de euros ao Santos, diz pai de Neymar

Apesar disso tudo, o capitão da seleção preferiu não traçar objetivos em relação à artilharia histórica. “Não sei qual é o meu limite. Só quero ajudar meus companheiros e a seleção brasileira”. Ao deixar o estádio, ele foi ainda mais direto, evitando estabelecer essa meta. “Não, não penso em ultrapassar o Pelé.” Com bem menos jogos disputados, Neymar já ultrapassou as marcas de craques como Leônidas da Silva, Rivellino, Ronaldinho Gaúcho e Rivaldo. Atualmente, ele tem média de 0,68 gols por jogo, à frente até mesmo de Ronaldo, que encerrou sua carreira na equipe com 0,63 de média. Neymar, no entanto, dificilmente superará as médias de Pelé (0,83) e Romário (0,78). O atacante revelado no Santos fez seu primeiro jogo com a seleção em 11 de agosto de 2010, quando marcou um gol na vitória por 2 a 0 sobre os Estados Unidos, em Nova Jersey.

Continua após a publicidade

Publicidade