Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Na contramão da seleção, rivais fazem ‘peneiras’ pré-Copa

Algumas das outras equipes favoritas ao título planejam começar a preparação com um grupo maior de atletas. No início de junho, terão de fazer um corte final

“A Fifa nos obriga a entregar mais sete nomes, é uma norma. Mas eu não acho que chamar mais jogadores para depois cortá-los seja o mais adequado”, disse Felipão depois de sua convocação

O técnico da seleção brasileira, Luiz Felipe Scolari, revelou na última quarta-feira sua lista de convocados para a disputa da Copa do Mundo e disse que “iria até o inferno” com seus 23 escolhidos. Entre os outros candidatos ao título, no entanto, as dúvidas da torcida e a apreensão entre os jogadores deverá continuar viva até o dia 2 de junho, data limite estabelecida pela Fifa para que sejam entregues os nomes dos 23 felizardos. De acordo com as normas da entidade, todas as seleções devem enviar uma pré-lista com 30 nomes no dia 13 de maio. Depois, é preciso entregar a lista final até dez dias antes da abertura do Mundial. Ao contrário do que fez Felipão, os técnicos de três das cinco seleções que têm sido apontadas como principais favoritas ao título – Alemanha, Argentina e Itália – decidiram não revelar o nome dos 23 escolhidos antecipadamente, a fim de promover um clima de competição nos treinamentos.

Leia também:

‘Vestibular’ do Brasil para Copa teve 5 candidatos por vaga

Para quem ficou de fora, há esperança: a lista de suplentes

Lista é dominada pelos paulistas: são 40% dos escolhidos

Não foi só Felipão que não se interessou em promover uma “peneira” pré-Copa. A atual campeã Espanha seguirá o exemplo do Brasil e levará apenas 23 atletas para o início da preparação, deixando claro, desde o início, quais são os preferidos. Em 25 de maio, um dia depois da final da Liga dos Campeões, entre Real Madrid e Atlético de Madrid, o técnico Vicente Del Bosque fará o anúncio dos 23 nomes. Ao contrário de alguns de seus principais seus rivais, Scolari e Del Bosque acreditam que o ambiente pode ser contaminado com a disputa por vagas. “A Fifa nos obriga a entregar mais sete nomes, é uma norma. Mas eu não acho que chamar mais jogadores para depois cortá-los seja o mais adequado”, disse Felipão ao ser questionado sobre o assunto na entrevista coletiva concedida logo depois do anúncio de seus 23 escolhidos. A lista de sete suplentes que poderão ser convocados em caso de contusão no grupo será anunciada pela CBF só no fim do prazo, e sem nenhuma pompa – se a lista dos 23 foi anunciada numa casa de shows, com palco iluminado e fotos dos atletas nos telões, a relação obrigatória da Fifa sairá no site da entidade.

As próximas convocações

INGLATERRA

12 de maio, com 30 atletas

ITÁLIA, ARGENTINA, HOLANDA E FRANÇA

13 de maio, com 30 atletas

ESPANHA

25 de maio, com 23 atletas

A tetracampeã Itália foi quem mais apostou no “vestibular” para a Copa: no mês passado, o técnico Cesare Prandelli chamou 42 jogadores – incluindo o brasileiro naturalizado italiano Rômulo – para um período de testes físicos. Doze dos integrantes da lista serão cortados no dia 13 de maio e, posteriormente, mais sete atletas serão dispensados da lista final. Atitude semelhante tomou o técnico da Holanda, Louis van Gaal. Na segunda, ele convocou vinte jogadores que atuam pela liga holandesa para um período de testes. No dia 13, Van Gaal revelará a pré-lista de trinta, e só depois os 23 definitivos. A seleção inglesa, por sua vez, adotou estratégia um pouco diferente. O anúncio dos 30 escolhidos pelo técnico Roy Hodgson para o período de preparação será feito no dia 12 de maio, um dia depois da conclusão do Campeonato Inglês, mas o treinador deverá abrir o jogo aos atletas, anunciando quem foi selecionado para a lista de 23 e quem ficará só de sobreaviso.

Leia também:

Scolari envelhece time, mas média é inferior a 2006 e 2010

Na Copa em casa, ídolos que fizeram a carreira no exterior

Chelsea é o clube com mais convocados: quatro jogadores

“Levaremos trinta atletas para os treinamentos em Portugal e devemos mantê-los no grupo até os amistosos no Peru. Mas penso em avisar antecipadamente aos atletas quais devem ser os 23 convocados e quais serão os sete dispensados. Ao fazer isso, vou colocar as cartas na mesa um pouco antes, é claro. Não podemos levar 30, mas tenho o máximo respeito por todos”, explicou Hodgson. Na quinta-feira, o técnico da seleção alemã, Joachim Löw, anunciou sua lista dos trinta pré-selecionados, mas avisou que só dará a lista final no dia 2 de junho. Antes disso, a seleção tricampeã fará um amistoso contra a Polônia, em 13 de maio, com um time formado por dez atletas pré-selecionados e mais oito jovens que não virão ao Mundial. A França, de Karim Benzema, e a Argentina, de Lionel Messi, também deverão apostar em uma lista maior, fechar o grupo já em solo brasileiro, depois da primeira etapa de treinamentos. Em boa parte dos casos, a opção pela lista ampliada e um corte dos reprovados nos treinos tem sido adotada por equipes que não estão totalmente prontas, que ainda procuram uma formação ideal. Não é o caso dos favoritíssimos brasileiros e espanhóis, por exemplo. Até o momento, apenas as seleções de Brasil, Alemanha, Equador, Bósnia, Honduras, Coreia do Sul, México e Nigéria divulgaram seus convocados ou pré-convocados.