Clique e assine a partir de 8,90/mês

Museu do Futebol reabre com homenagem a aniversário de Pelé

Por causa da pandemia, visitante poderá acessar conteúdos interativos pelo celular e terá que comprar ingresso pela internet

Por Sabrina Brito - 13 out 2020, 21h29

O Museu do Futebol, localizado no Estádio do Pacaembu, em São Paulo, será reaberto no próximo dia 15 com uma nova exposição. Em comemoração ao octogésimo aniversário do maior jogador de todos os tempos, Pelé, que será no dia 23 de outubro, o Museu trará peças sobre a vida do craque.

Uma das novidades será o retorno à vitrine de exposição de longa duração da camisa que o Rei usou na final da Copa do Mundo de 1970 contra a Itália, jogo que garantiu o tricampeonato mundial ao país. Durante a pandemia, o item havia sido retirado da exposição para “descansar”, já que o tecido e as costuras podem ser danificados com o tempo.

A exposição, chamada Pelé 80 – O Rei do Futebol, terá como peça central o filme dirigido pelo cenógrafo Gringo Cardia e produzido a partir de mais de 440 imagens históricas. Com 25 minutos de duração, ele inclui momentos marcantes como a conquista da Copa do Mundo de 1958, o discurso de Nelson Mandela sobre Pelé, proferido quando o atleta recebeu o Laureus World Sports Awards no ano de 2000 e o último jogo do craque.

Além disso, o Museu do Futebol contará com uma escultura do Rei logo na entrada, e permitirá ainda que o público escolha entre os dez gols mais famosos de Pelé para assistir em forma de partida de futebol de botão. Já na seção O Brasil Ama o Rei Pelé, o visitante poderá assistir aos depoimentos de 35 celebridades que são fãs do atleta, como Maurício de Souza, Marta e Chico Buarque.

Em tempos de pandemia, qualquer local passível de aglomeração deve ser adaptado. Assim, o Museu exigirá o uso de máscaras e oferecerá álcool gel ao público, além de diminuir sua capacidade a apenas 10 visitantes por vez, a cada 25 minutos.

Os ingressos estão sendo vendidos online e devem ser adquiridos com antecedência. Os conteúdos interativos da exposição poderão ser acionados pelo celular do visitante para evitar o contato com botões e telas da exposição. Para quem não levar o aparelho, orientadores e educadores do museu servirão de ajuda para que ninguém fique sem acessar cada parte do Museu.

Continua após a publicidade
Publicidade