Clique e assine a partir de 9,90/mês

Muricy revela esperança de contar com ‘olímpicos’ diante do Inter

Por Da Redação - 9 jul 2012, 11h23

O Santos conquistou diante do Grêmio, neste domingo, na Vila Belmiro, a sua primeira vitória no Campeonato Brasileiro. Mas para tentar embalar na competição, o técnico Muricy Ramalho revelou que irá pedir a liberação dos jogadores do Peixe convocados para defender a Seleção Brasileira, nos Jogos Olímpicos de Londres (Inglaterra), contra o Internacional, no próximo domingo, no Beira-Rio.

‘Nós pedimos para não ter essa partida, mas a TV manda e eles não abrem mão. Então, vamos pedir à CBF para que ela ‘empreste os jogadores’. É ruim fazer isso, mas precisamos deles’, disse Muricy, referindo-se ao goleiro Rafael, o meia Paulo Henrique Ganso e o atacante Neyma

A ideia santista, inicialmente, era pedir o adiamento de alguns dos compromissos da equipe no Brasileirão, em virtude do desfalque do trio durante as Olimpíadas – que deve alcançar de sete a nove rodadas da Série A. No entanto, após uma conversa com o presidente da CBF, José Maria Marin, a cúpula alvinegra foi informada de que não haveria datas suficientes para uma reposição desses jogos, em caso de um hipotético adiamento.

‘Foi o que pedimos (adiamento), mas não foi possível. Vamos ver se a CBF nos atende. É uma coisa que eu não gostaria de fazer, pois ‘estraga’ um pouco o trabalho do Mano (Menezes, técnico canarinho). O Brasil nunca tem tempo para treinar e nós podemos tirar os atletas, por alguns dias, em um período de preparação. É complicado. Eu não sei se eles vão aceitar, mas eu vou pedir. Temos que ver a situação do Santos também’, comentou o treinado

Continua após a publicidade

A princípio, Rafael e Neymar fizeram suas ‘despedidas’ do Santos antes dos Jogos Olímpicos, no triunfo por 4 a 2 sobre o Tricolor Gaúcho. Já a situação de Ganso é mais delicada. Envolvido em nova polêmica com a diretoria do clube, por conta de sua última conversa sobre uma renovação contratual, o camisa 10 talvez não defenda mais o Peixe.

De acordo com o grupo DIS, detentor de 55% dos seus direitos econômicos, o armador santista não joga mais pelo time da Vila. A estratégia do investidor seria comprar os 45% restantes, que pertencem ao Alvinegro Praiano, e negociar Paulo Henrique Ganso com outra equipe. O Internacional seria o candidato mais forte. O futebol italiano também é apontado como o possível destino do jogador.

Por outro lado, o Santos rebate a versão apresentada pelo grupo DIS e garante que nenhuma proposta, seja desta empresa ou de algum clube brasileiro ou europeu, chegou as mãos da diretoria nos últimos dias.

Publicidade