Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Muricy não têm preferência por rivais no mata-mata da Libertadores

O Santos joga diante do Strongest, da Bolívia, nesta quinta-feira, a partir das 19h45 (horário de Brasília), na Vila Belmiro, com a chance de confirmar a sua classificação para as oitavas de final da Copa Libertadores da América. Concentrado na ideia de que o seu time consiga a vaga e conquiste o primeiro lugar do grupo 1 da competição, o técnico do Peixe, Muricy Ramalho, garantiu que não têm preferências por rivais na etapa de mata-mata da Libertadores.

‘Não dá para escolher adversário, é complicado. Todos que possam vir são complicados. Por isso, nós temos que nos concentrar na nossa partida, pensando em ganhar para classificarmos em primeiro e termos a vantagem de fazer o segundo jogo em casa’, disse Muricy que, a exemplo do técnico do Corinthians, Tite, deseja evitar um cruzamento contra brasileiros nas oitavas de final do torneio.

‘O Tite tem razão. Realmente seria mais difícil jogar contra algum dos brasileiros agora. Se desse para escolher, enfrentar um brasileiro não seria o ideal’, comentou o treinador santista, ao falar de um possível choque com Timão, Fluminense, Vasco ou Internacional-RS – o clube gaúcho está na chave alvinegra e também entra em campo nesta quinta, diante do Juan Aurich (Peru), em Chiclayo, buscando a classificação.Entre os estrangeiros, Deportivo Quito (Equador), Bolívar (Bolívia) e Universidad de Chile (Chile) ocupam as maiores probabilidades de estarem no caminho do Santos, na próxima etapa da Copa Libertadores.

Muricy Ramalho, que elogiou bastante o Atlético Nacional (Colômbia), também se esquivou de análises sobre essas equipes. ‘Não posso opinar, pois teríamos que fazer muitas contas para saber o que vai acontecer. De qualquer forma, nós estamos conscientes de que teremos dificuldades. Seja na altitude de La Paz ou jogando longe, para ganhar a Libertadores você tem que estar preparado para tudo’, encerrou