Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Muricy elogia rival, mas dispara contra campo: ‘Risco de contusões’

O Santos volta a jogar pela Copa Libertadores da América diante do Juan Aurich (Peru), nesta quinta-feira, às 19h45 (horário de Brasília), no Estádio Elías Aguirre, em Chiclayo. E, mesmo com o adversário na lanterna do grupo 1, com duas derrotas e nenhum ponto conquistado até o momento, o técnico Muricy Ramalho não mediu elogios para o time peruano.

Segundo o treinador santista, o Juan Aurich tem um conjunto de qualidade e deve apresentar resistência ao futebol do Peixe no confronto desta quinta. ‘Eles perderam para o Internacional-RS na estreia, com um a menos (no Beira Rio), e sofreram com a altitude diante do The Strongest (Bolívia), em La Paz, como a gente. Porém, eles têm uma equipe experiente, com colombianos e argentinos no elenco. Além disso, os peruanos sabem jogar, trocam bem a bola’, analisou.

No entanto, apesar de reconhecer a força do seu oponente, Muricy demonstrou irritação com as condições do gramado sintético do Estádio Elías Aguirre. Para o comandante alvinegro, o piso utilizado no campo do Juan Aurich não é adequado e oferece risco de lesões aos atletas.

‘Esse é um campo sintético da época de quando começou a ser liberada a disputa de jogos em gramados artificiais. Parece coisa de quadra de futebol society, não dos campos de grama sintética atuais. No nosso CT (Meninos da Vila, onde o time treinou na última segunda) é melhor. Isso aqui parece um tapete, com um pouco de borracha. Você não sabe se a bola vai ficar mais rápida ou mais lenta. Esse tipo de terreno aumenta o risco de contusões. É perigoso e uma preocupação para as duas equipes’, destacou.

Muricy Ramalho ainda aproveitou a oportunidade para negar declarações atribuídas a ele de que o Juan Aurich seria a equipe mais fraca da chave. O técnico garantiu que em nenhuma de suas entrevistas coletivas no Brasil fez esse tipo de afirmação.

‘Se alguém falou que eu disse isso está agindo de má fé. Até porque, se eles (peruanos) me conhecessem um pouco saberiam que eu não sou do tipo de treinador que fala uma coisa dessas. Só espero que não confundam tudo e transformem a partida em uma guerra. O time peruano sabe jogar futebol e tem qualidade para isso. O Juan Aurich é perigosíssimo e precisamos tomar cuidado para não sermos surpreendidos’, concluiu.