Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mundial: atleta vítima de surto em hotel poderá correr sozinho

Isaac Makwala, uma das 30 vítimas de gastroenterite, ganhou o direito de competir sozinho nesta quarta, para tentar vaga nas semifinais dos 200 m

O velocista Isaac Makwala, de Botsuana, que ficou fora das eliminatórias dos 200 metros rasos do Campeonato Mundial de Atletismo de Londres após ser infectado por um vírus, ganhou o direito de competir sozinho nesta quarta-feira, para tentar vaga nas semifinais. Uma das estrelas do campeonato, ele foi um dos mais de 30 hóspedes de um hotel na capital inglesa afetados por um surto de gastroenterite.

A Federação Internacional de Atletismo (IAAF) confirmou que aceitou pedido da federação do país africano, para que o atleta pudesse participar da disputa, que acontecerá duas horas antes da briga por vaga na final. Makwala terá que conseguir tempo igual ou inferior a 20s53.

“Dado que o período de quarentena se expira hoje, e após exame médico que o declarou apto, decidimos, de acordo com regulamento, que ele corra nesta tarde”, divulgou a IAAF, por meio de comunicado. A entidade garantiu que nenhum atleta já classificado para as semifinais será prejudicado, caso o velocista de Botsuana alcance vaga na fase seguinte.

A Comissão Médica da IAAF colocou Makwala, um dos atletas afetados por surto de gastroenterite em hotel oficial do Mundial, a uma quarentena. Por isso, ele ficou de fora da final dos 400 metros rasos, prova da qual era um dos favoritos, na terça-feira. Makwala protestou contra o veto, mas o responsável pelo setor, Pam Venning, alegou que o atleta foi impedido de correr pelas autoridades de saúde pois se recuperava de vômitos e diarreias.

O Ministério da Saúde do Reino Unido confirmou que cerca de 30 pessoas foram atingidas pelo surto no hotel Tower, embora aponte que o estabelecimento não teria sido o local de origem da infecção.

(com agência EFE)