Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Morre Nilton Santos, bicampeão mundial com o Brasil

Lateral esquerdo era chamado de 'A Enciclopédia do Futebol'

Por Da Redação 27 nov 2013, 17h01

Morreu nesta quarta-feira, aos 88 anos, o ex-lateral esquerdo do Botafogo e da seleção brasileira Nilton Santos, que estava internado na Clínica Bela Lopes, na zona sul do Rio de Janeiro, com pneumonia. Nilton Santos passou mal na última sexta-feira e foi levado ao hospital com insuficiência cardíaca e respiratória. O ex-jogador já sofria com o Mal de Alzheimer desde 2007 e vivia há seis anos na Clínica da Gávea, também na zona sul do Rio.

Leia também:

Revista PLACAR: Em entrevista, Nilton Santos diz que quer ser esquecido

Leônidas da Silva, 100 anos de um dos gigantes do futebol

Morre De Sordi, campeão mundial em 1958 com a Seleção Brasileira

Continua após a publicidade

Morre Djalma Santos, bicampeão do mundo com a seleção

Nilton Santos, grande ídolo do Botafogo, nasceu em 16 de maio de 1925, na Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, e só vestiu duas camisas na vida: do Botafogo e da seleção. Pelo clube carioca, jogou 723 partidas, marcou 11 gols e conquistou seis títulos – Campeonato Carioca de 1948, 1957, 1961 e 1962 e Torneio Roberto Gomes Pedrosa de 1962 e 1964. Ele era conhecido como A Enciclopédia do Futebol, por seus conhecimentos sobre o esporte, dentro e fora dos gramados. Quando se aposentou, chegou a fazer parte da diretoria do Botafogo, mas saiu após acertar um soco no árbitro Armando Marques, no Maracanã.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Pela seleção, Nilton Santos fez 84 jogos, marcou três gols e disputou três Copas do Mundo, em 1950, 1954, 1958 e 1962 – nestas duas últimas, foi bicampeão mundial. O lateral também ficou conhecido pelo famoso lance onde, após cometer um pênalti na Copa de 1962, contra a Espanha, deu um passo para fora da área e enganou o árbitro – que marcou apenas falta. Nilton Santos foi um dos primeiros laterais que também atacava – naquela época, os jogadores da posição tinham a função apenas de marcar os atacantes. Em 2000, foi eleito pela Fifa como o melhor lateral esquerdo de todos os tempos.

(Com Estadão Conteúdo)

Continua após a publicidade
Publicidade