Clique e assine a partir de 8,90/mês

Montillo promete foco total no Cruzeiro apesar de drama

Por Da Redação - 18 out 2011, 15h05

Por AE

Belo Horizonte – O meia Montillo falou, nesta terça-feira, sobre o momento complicado do Cruzeiro e do drama pessoal vivido por ele próprio, cujo filho de um ano e sete meses está internado na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) de um hospital de Belo Horizonte. No último domingo, o argentino desperdiçou um pênalti na derrota por 1 a 0 para o Corinthians, em Sete Lagoas (MG), mas o jogador negou que o problema envolvendo o menino interferiu em seu desempenho no confronto que deixou a equipe mineira estacionada na 16.ª posição do Campeonato Brasileiro. E ele promete concentração total no time nesta reta final da competição nacional.

Ao comentar sobre o jogo de domingo, Montillo afirmou que teve uma boa atuação e que a penalidade perdida é um fato normal em um jogo de futebol. “Primeiramente, acho que fiz uma boa partida, eu não fui mal, o time não foi mal, eu só perdi o pênalti e só ficam as coisas ruins depois do jogo, se eu tivesse acertado todo mundo ia falar que o Montillo superou o problema do seu filho e tudo mais, mas eu acho que fiz uma boa partida”, afirmou o meio-campista, para depois garantir que não irá se abalar na continuidade da competição nacional.

“Jogamos contra o líder do torneio, um time que tem jogadores de muita qualidade. É duro, porque quando teve o pênalti, era um momento do jogo que era bom empatar, mas é o futebol. Eu não sou um cara que abaixa a cabeça e de ficar me lamentando porque errei o pênalti, porque não fiz um lance de gol. Não podemos ficar só lamentando e sim continuar trabalhando”, completou.

Para justificar que a situação do seu filho não está interferindo em seu futebol dentro de campo, Montillo lembrou que ajudou o Cruzeiro a vencer o América-MG por 3 a 2, no início do ano, em um jogo válido pelo Campeonato Mineiro, na época em que seu filho foi submetido a uma cirurgia cardíaca. Na ocasião, o argentino marcou o gol que garantiu o triunfo cruzeirense.

“Mesmo com o problema do meu filho, eu estou 100% focado nos treinos aqui e, para tirar o Cruzeiro dessa situação, como sempre fiz. Quando aconteceu a primeira internação do meu filho aqui no Brasil, as coisas saíram bem, eu fiz o gol contra o América-MG, o time ganhou. E agora eu não coloco a responsabilidade de o time não ter ganhado do Corinthians pelo fato de o meu filho estar internado, ele está internado por uma consequência da vida”, lamentou.

O meio-campista, porém, admite que hoje vive uma rotina desgastante não apenas dentro de campo, pois tem intercalado os treinos e jogos pelo clube com idas diárias ao hospital. “Estou brigando junto a minha família para que meu filho saia dessa, é uma situação ruim sim, eu saio daqui e tenho que ir para o hospital, o descanso não é o mesmo, mas eu sou um cara que gosta de trabalhar, de fazer o que faço e gosto de estar com meu filho também. Então vou continuar ajudando o time e não vou colocar o meu filho como o responsável. Eu não errei o pênalti porque meu filho está internado, eu errei porque bati mal e só isso, meu filho está fora do futebol”, ressaltou.

Em seguida, o jogador disse apostar que o Cruzeiro se livrará do risco de rebaixamento na reta final deste Brasileirão. “Eu torço por ele (Santino, nome do seu filho), a preocupação de um pai é grande, claro, ele já está na UTI há quase duas semanas, é difícil, e com a situação do Cruzeiro, junta tudo, mas tenho certeza de que vamos sair dessa situação aqui no Cruzeiro e meu filho também vai melhorar e daqui a pouco vamos comemorar juntos”, enfatizou.

Continua após a publicidade
Publicidade