Clique e assine a partir de 9,90/mês

Ministra diz que Jogos de Tóquio devem acontecer ‘a qualquer custo’

Seiko Hashimoto afirmou que o Japão vem tomando todas as medidas possíveis para conter a pandemia de coronavírus e realizar o evento em 2021

Por Da Redação - Atualizado em 8 set 2020, 10h32 - Publicado em 8 set 2020, 10h05

Os Jogos Olímpicos de Tóquio-2020 foram adiados para 2021 em razão da pandemia de coronavírus e, segundo uma de suas principais representantes, não corre risco de ser cancelado. A ministra japonesa da Olimpíada, Seiko Hashimoto afirmou nesta terça-feira, 8, que o evento acontecerá no ano que vem “a qualquer custo”.

Em entrevista coletiva na capital japonesa, Hashimoto disse que os Jogos deveriam ser realizados para o benefício dos atletas, independentemente dos desafios impostos pela Covid-19. “Todos os envolvidos com os Jogos estão trabalhando juntos para se preparar, e os atletas também estão fazendo um esforço considerável para o próximo ano”, afirmou Seiko Hashimoto.

“Acho que temos que manter os Jogos a qualquer custo. Quero concentrar todos os nossos esforços em medidas contra o coronavírus”, completou a ministra. Seu discurso é bem mais otimista que o do presidente do comitê organizador, Yoshiro Mori, que em abril falou claramente sobre a possibilidade de cancelamento.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine

“Neste caso (de ser preciso haver um novo adiamento), a Olimpíada será limada. No passado, quando houve problemas do tipo, como guerras, os Jogos foram cancelados. Dessa vez, lutamos contra um inimigo invisível”, disse Mori, na ocasião.

Oficiais do governo do Japão e de Tóquio e membros do comitê organizador dos Jogos Olímpicos se reuniram pela primeira vez na semana passada para desenvolver medidas para combater o coronavírus durante o evento.

Continua após a publicidade

Em julho, o CEO dos Jogos de Tóquio-2020, Toshiro Muto, disse que os organizadores estavam se preparando para sediar os Jogos no próximo ano, mesmo que a pandemia global de coronavírus não tenha diminuído substancialmente.

Os organizadores estão analisando mais de 200 propostas sobre a melhor forma de lidar com o vírus, incluindo a flexibilização das restrições de viagem para atletas estrangeiros, medidas antivírus na Vila dos Atletas e como lidar com a presença de torcedores.

Nesta terça, a porta-voz dos Jogos, Masa Takaya, não foi tão otimista quanto Hashimoto, mas citou o sucesso de eventos esportivos em todo o mundo, inclusive no Japão, como encorajador. “Este foi um grande incentivo para os membros da equipe de Tóquio-2020”, disse.

A Olimpíada de Tóquio foi a primeira da história a ser adiada e a não ocorrer em sua data prevista. As outras três, Berlim-1916, Tóquio-1940 e Londres-1944, não foram realizadas devido às Guerras Mundiais.

(com agência Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade