Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Minha pressão agora é igual à de antes da estreia, afirma Ney Franco

Sem vitória em seus dois primeiros jogos no São Paulo, Ney Franco já ouviu as primeiras críticas e contestações tanto de torcedores quanto de conselheiros influentes como o empresário Abílio Diniz. Mas o treinador, que se apresentou pedindo cobrança por títulos, assegura: nada mudou.

‘Já me sinto pressionado desde o meu primeiro compromisso no São Paulo. É dessa forma que encaro. A pressão para mim no São Paulo é a mesma de antes de enfrentar o Palmeiras. Estou com muita tranquilidade para desenvolver o meu trabalho’, garantiu o técnico que empatou com o desfalcado Palmeiras, mesmo com um a mais desde o início do segundo tempo, e perdeu do Vasco no Morumbi.

Entretanto, apesar de ter perdido os 100% de aproveitamento como anfitrião no Brasileiro iniciado por Emerson Leão e mantido pelo coordenador técnico Milton Cruz como interino, Ney Franco considera as cobranças constantes. Exigências, segundo ele, fazem parte do cotidiano de sua profissão.’Pressão vai sempre existir para o treinador, independentemente da situação. No time que está liderando, ele está sempre pressionado a manter a liderança. Na zona de rebaixamento, está sempre pressionado a escapar’, comparou, dizendo-se tranquilo. ‘No dia a dia do CT, tenho todas as condições de desenvolver o meu trabalho. Os jogadores estão respeitando nossos pedidos. Não vejo muitos problemas a serem resolvidos.’

O maior problema ele já detectou: falta ‘alma’ à equipe para correr atrás dos adversários. E a fé é de melhora neste quesito ao visitar Figueirense e Atlético-GO nas duas próximas rodadas do Brasileiro antes de voltar ao Morumbi, onde o time foi xingado na última quarta-feira, para enfrentar o Flamengo no dia 29.

‘Não queremos mais sair do Morumbi na situação do último jogo, jogando muito mal, bem abaixo do que a equipe pode’, afirmou Ney Franco. ‘Tenho muita esperança na qualidade dos jogadores e na equipe se encaixar. Espero que encaixe nos dois próximos jogos fora de casa para voltarmos para o Morumbi, diante da torcida, jogando melhor contra o Flamengo’, projetou.