Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mineirinho dedica título a amigo que foi assassinado

Na comemoração pela conquista do mundial, brasileiro prestou tributo ao também surfista Ricardo dos Santos, morto a tiros no início do ano: ‘Onde ele estiver, sei que estará comigo’

Por Da Redação - 17 dez 2015, 23h14

Adriano de Souza, o Mineirinho, foi às lágrimas nesta quinta-feira em sua primeira entrevista depois de conquistar o Mundial de Surfe. Ainda nas areias de Pipeline, no Havaí, o surfista brasileiro se emocionou ao falar sobre o colega Ricardo dos Santos, assassinado com três tiros em janeiro, em Santa Catarina.

“Eu tenho uma tatuagem [aponta para os dizeres “força, equilíbrio e amor” em seu braço] que mostra o que eu precisei para vencer esse título. Quero agradecer muito a Deus por esse momento e dizer que sou muito abençoado por Ele e pelo Ricardo lá em cima. Onde ele estiver, sei que estará comigo”, declarou Mineirinho.

O surfista também se lembrou de uma história relacionada ao seu irmão, que deu a primeira prancha de presente para o mais novo campeão mundial de surfe. “Eu também dedico esse troféu ao meu irmão, que com 30 reais comprou uma prancha de surfe para mim. Eu sei que era muito dinheiro para ele, mas cheguei ao topo do mundo com 30 reais e com o apoio dele”, afirmou. Ao narrar a história em inglês para os repórteres estrangeiros, Mineirinho ainda teve o cuidado de converter os valores para a moeda americana, mencionando a quantia de 7 dólares.

Conquista – Adriano de Souza se tornou o segundo brasileiro a vencer o Mundial de Surfe, depois do título de Gabriel Medina em 2014, ao derrotar o havaiano Mason Ho nas semifinais da etapa de Pipeline. Concorrente direto de Mineirinho na briga pelo título, o australiano Mick Fanning foi eliminado por Medina na mesma fase. O campeão de 2015 coroou a conquista vencendo também a final brasileira contra Medina em Pipeline.

Continua após a publicidade

(Com Gazeta Press)

Publicidade