Clique e assine a partir de 9,90/mês

Mineirão, cadê meu desodorante?

Torcedor do Cruzeiro protestou por ter seu item de higiene pessoal confiscado na entrada do estádio e protagonizou conversa inusitada no Twitter

Por Andressa Oliveira - Atualizado em 23 fev 2017, 20h54 - Publicado em 23 fev 2017, 17h43

Na última quarta-feira, na goleada de 6 a 0 do Cruzeiro sobre o São Francisco (PA), em partida válida pela Copa do Brasil, ocorreu um incidente peculiar  fora de campo. Por meio do Twitter, um torcedor cruzeirense externou sua decepção com a administradora do Estádio do Mineirão, por ter seu desodorante confiscado ao entrar para assistir a partida.

Em seu perfil, o Mineirão respondeu ao fã e justificou a atitude, explicando que não é permitida a entrada de produtos inflamáveis nas dependências do estádio. Mas o torcedor – que não se identifica nas redes -, rebateu dizendo que por não possuir álcool, o desodorante não poderia ter sido confiscado.

Diante da enorme repercussão pelas redes, a administradora do estádio se comprometeu a pagar um novo desodorante para o torcedor. Foi a senha para a marca do produto entrar na brincadeira, assegurando que o desodorante não traz riscos à segurança.

O fabricante garantiu que a história não se trata de uma ação de marketing e que tomou conhecimento do caso apenas na manhã desta quinta-feira. Além disso, contatou o torcedor cruzeirense e prometeu enviar um kit de desodorantes. Abaixo, algumas das mensagens:

twitter-mineir%cb%9cao-rexona
Publicidade