Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Milena Titoneli perde a disputa por medalha de bronze no taekwondo

Atleta paulista de 22 anos foi derrotada por Ruth Gbagbi, da Costa do Marfim, e ficou sem pódio no Budokan. "Vou voltar mais forte em Paris", avisou

Por Luiz Felipe Castro Atualizado em 26 jul 2021, 10h04 - Publicado em 26 jul 2021, 08h46

A brasileira Milena Titoneli, de 22 anos, perdeu a disputa da medalha de bronze no taekwondo, na categoria até 67 quilos feminina, para Ruth Gbagbi, da Costa do Marfim, na manhã desta segunda-feira, 26, no Nippon Budokan, considerado o templo das artes marciais, na manhã desta segunda-feira, 26.

Com isso, Milena ficou perto de igualar o melhor resultado do Brasil no taekwondo: os bronzes de Natália Falavigna, em Pequim-2008, e de Maicon Siqueira, na Rio-2016. A atleta paulista confirmou as boas expectativas sobre ela, mas não conseguiu chegar ao pódio e ajudar o Time Brasil na meta de superar o recorde de 19 pódios batidos na Rio-2016.

“Esses Jogos foram de muita superação para mim. Chegar aqui para mim já é uma grande vitória. Tive que vencer muita coisa para estar aqui. Apesar de ter perdido, estou muito feliz. Queria muito essa medalha e eu poderia ter ganhado. Lutei de igual para igual com todas e elas tiveram os seus méritos, foram superiores”, afirmou Milena ao Comitê Olímpico do Brasil.

  • No taekwondo, os competidores podem pontuar com chutes ou socos, sempre acima da linha da cintura (pontapés nas áreas cobertas pelos protetores e os socos podem na área do tórax). Desde a Rio-2016, a tecnologia é aliada da arbitragem, pois sensores no capacete e no colete auxiliam na marcação dos pontos.

    Titoneli, que já vinha dando sinais de que poderia subir ao pódio desde que venceu o Pan-Americano de Lima, em 2019. No Japão, ela estreou com vitória sobre Julyana Al-Sadeq, da Jordânia, na decisão dos juízes, após empate em 9 a 9. Nas quartas, caiu diante da croata Matea Jelic, número 1 do mundo e atual campeã europeia, por 30 a 9. Como a europeia avançou para a final, Milena ganhou o direito de participar da repescagem em busca do bronze.

    Antes da decisão por pódio, ela superou a haitiana Lauren Leep por 26 a 5. Na última luta, ela conseguiu equilibrar a disputa, mas foi derrotada por 12 a 8 ao receber um chute na cabeça (três pontos), nos segundos finais do combate. Agora, o foco de Milena já passa a ser no cilo de Paris-2024. “Com certeza eu saio daqui com gostinho de quero mais. Tenho uma nova equipe, com pessoas novas e estou muito feliz, com vontade de continuar. Eu me sinto com um fênix, que renasce das cinzas. Então, podem ter certeza de que em 2024 eu vou dar o meu máximo. Vou voltar mais forte”.

    Milena Titoneli, do taekwondo
    Milena Titoneli já mira nos Jogos de Paris-2024 Gaspar Nóbrega/ COB/Divulgação

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade