Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Messi vai ao tribunal e diz que “não tinha ideia de esquema de fraude”

O jogador afirmou à Justiça que apenas se dedicava à sua carreira e a compromissos com patrocinadores

Por Da Redação - 2 jun 2016, 13h44

O argentino Lionel Messi afirmou nesta quinta-feira, em julgamento em Barcelona, que se dedica apenas à carreira esportiva. O jogador disse não saber de qualquer esquema de sonegação, do qual é acusado de participação – ele responde na Justiça a uma denúncia de fraude do fisco espanhol em 4,16 milhões de euros (cerca de 17 milhões de reais). “Eu me dedicava a jogar futebol, confiava no meu pai e em meus advogados e não tinha ideia de nada”, disse Messi, reafirmando discurso similar usado pela sua defesa no início da investigação em 2013.

Messi e seu pai, Jorge Horacio, são acusados de evasão fiscal entre 2007 e 2009, com a utilização de uma série de empresas no Reino Unido, na Suíça, em Belize e no Uruguai para receber os direitos de imagem, evitando assim o pagamento de impostos. Durante esses anos, Messi assinou contratos de patrocínio com marcas como Adidas, Konami, Pepsi e Danone em nome de uma empresa no Uruguai, Jenbril, que pertencia a ele e à qual cedeu a gestão de seus direitos. O jogador afirmou desconhecer tudo isto.

LEIA TAMBÉM:

Escândalo: ‘Panama Papers’ abalam governos e países decidem investigar

Publicidade

Saiba quem são os políticos brasileiros citados nos ‘Panama Papers’

Putin, Cameron, Macri… saiba quem são os políticos citados nos “Panama Papers”

“A única coisa que sabia é que assinávamos acordos com determinados patrocinadores, por uma quantidade determinada de dinheiro e eu tinha de fazer anúncios, fotos e coisas do tipo, mas sobre o dinheiro e para onde ia eu não sabia nada”, declarou Messi. De acordo com o jogador, o emaranhado de empresas foi elaborado por um escritório de advocacia de Barcelona que prestava assessoria à família na área fiscal e que mantinha contato apenas com seu pai. “Eu confiava nele e os advogados nos diziam que fizéssemos desta maneira”, disse.

A promotoria aceitou esta versão e antes mesmo do julgamento retirou a acusação contra Messi. Mas a Advocacia do Estado, que representa a Fazenda, cujas perguntas Messi não quis responder, manteve a acusação e solicitou uma pena de 22 meses de prisão e multa equivalente à quantia sonegada.

Publicidade

(Com AFP)

Publicidade