Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Messi nega envolvimento com os amistosos sob suspeita

Craque diz que ele e seu pai não têm nada a ver com a organização dos jogos dos 'Amigos de Messi', que teriam servido para lavagem de dinheiro do tráfico

A suspeita sobre uma possível ligação de Jorge Messi, pai de Lionel Messi, com um esquema de lavagem de dinheiro do narcotráfico continua em destaque na imprensa espanhola. Nesta quarta-feira, o jornal El País revelou que Messi, Daniel Alves, Pinto e Mascherano foram interrogados no último dia 29 por agentes envolvidos na apuração do caso. Segundo a reportagem, o craque do Barcelona disse em seu depoimento que a organização das excursões envolvendo os “Amigos de Messi” no ano passado é de total responsabilidade da empresa Player Imagen. Ele que desconhece quem foi o responsável por organizar o amistoso em Bogotá, capital colombiana – evento que teria desencadeado a investigação. No depoimento, o atleta também disse que seu pai era intermediário entre a Fundação Leo Messi, mantida pelo jogador, e Guillermo Marín, gestor da Player Imagen – mas que Jorge Messi não tinha envolvimento algum em lavagem de dinheiro.

Leia também:

Leia também: Pai de Messi é suspeito de ligação com o tráfico, diz jornal

O camisa 10 do Barça garantiu que não lucra com os jogos beneficentes, com exceção da partida realizada em Bogotá, quando recebeu uma doação para sua fundação. O El País informa ainda que os outros jogadores que prestaram depoimento não estão envolvidos em qualquer tipo de suspeita – Daniel Alves, Pinto e Mascherano foram ouvidos apenas para que pudessem confirmar se recebiam ou não alguma quantia pelos amistosos. De acordo com pessoas ligadas à investigação, alguns dos jogos beneficentes com o time Amigos de Messi serviram para lavar “milhões de euros” do narcotráfico. Os parentes do atleta garantem que Jorge Messi não sabia das irregularidades. Responsável pela fundação que leva o nome do jogador, o pai do astro não se pronunciou sobre o assunto. O pai de Messi já está envolvido em outro problema judicial. Acusado de sonegar impostos, Jorge Messi precisou pagar 5 milhões de euros por dívidas referentes aos anos de 2007, 2008 e 2009.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

(Com agência Gazeta Press)