Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Messi desiste da seleção após novo fracasso da Argentina: ‘Acabou para mim’

Abalado depois de perder um pênalti e a decisão da Copa América Centenário contra o Chile, o melhor jogador do mundo disse que não jogará mais por seu país

Lionel Messi não consegue acordar do pesadelo. Na noite deste domingo, o craque não conseguiu encerrar o jejum da Argentina de 23 anos sem um título sequer. Pior, o próprio craque, que fez um torneio espetacular e foi o melhor argentino da decisão da Copa América Centenário, falhou sua cobrança na decisão por pênaltis, que decretou o título do Chile, em Nova Jérsey. O quarto vice-campeonato em quatro decisões e o sentimento de culpa derrubaram o gênio. De cabeça quente, na zona mista do estádio, Messi chocou a Argentina com sua renúncia: “Já deu, a seleção argentina acabou para mim”.

“Já são quatro finais que perdi, três seguidas. É uma lástima, mas tem que ser assim, não dá. É difícil, muito duro de analisar. O pensamento no vestiário é que já deu, a seleção acabou para mim. São quatro finais, não é pra mim. Lamentavelmente, eu tentei, era o que eu mais desejava. Não deu para mim, creio que já acabou”, afirmou o camisa 10 na zona mista do estádio MetLife Stadium en East Rutherford, em Nova Jersey.

Leia também:

Messi reclama de voo atrasado e critica federação argentina – que rebate

Maradona exige título da Argentina: ‘Se não ganharmos, que nem voltem’

“É como eu me sinto agora, é uma grande tristeza, mais uma vez, e perdi um pênalti que era muito importante. Tentei muito ser campeão com a Argentina, mas não aconteceu.”, acrescentou o craque, que chorou ainda no gramado. “É pelo bem de todos, por mim e por todos, acho que tem muita gente que deseja isso, que não se conforma com isso, assim como todos nós não nos conformamos.”

Messi participou de três finais da Copa América, em 2007, 2015 e 2016, e da final da Copa do Mundo de 2014, no Brasil, e foi derrotado em todas. A Argentina não conseguiu marcar gols em nenhuma das quatro partidas.

A decisão do jogador de 29 anos, que superou Gabriel Batistuta como maior artilheiro da seleção argentina com 55 gols, foi um duro golpe para seus companheiros de equipe, que disseram esperar que esta não seja a decisão final do camisa 10.

No entanto, o atacante Kun Aguero revelou que esta foi a vez em que viu seu melhor amigo mais abalado, e deu a entender que outros atletas também cogitam renunciar à seleção. “Provavelmente, Messi não será o único. Vários avaliamos não seguir”, disse o atacante do Manchester City.

(da redação)