Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Merritt comemora chance de defender título olímpico

Por Da Redação - 6 out 2011, 17h45

Por AE

Atlanta – O norte-americano LaShawn Merritt não escondeu a surpresa com a decisão da Corte Arbitral do Esporte (CAS) que o liberou nesta quinta-feira para defender o título olímpico dos 400 metros nos Jogos de Londres, em 2012. Ele estava proibido de competir pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) desde que foi flagrado em exame antidoping, em 2009.

A decisão da CAS, instância máxima da justiça desportiva, anulou uma polêmica regra do COI que tinha sido criada em 2008. O tribunal considerou “inválida e inaplicável” a determinação imposta pela entidade de que atletas condenados a mais de seis meses de suspensão por doping não possam disputar a edição seguinte da Olimpíada.

Merritt completou seus 21 meses de suspensão em julho deste ano. Ele foi flagrado por ter consumido uma substância proibida num remédio para aumentar o tamanho do seu pênis. Foi sua punição que motivou o Comitê Olímpico dos Estados Unidos a entrar com a ação na CAS para reverter a regra do COI.

Publicidade

Aliviado pela decisão, o norte-americano revelou que ficou com medo de receber a notícia do seu empresário. “Sabia que o julgamento do caso seria hoje. Não queria atender ao telefone”, contou o corredor. “Hoje é um grande dia para mim. Não há nada melhor do que poder voltar a competir e defender o meu título na Olimpíada”, festejou.

Merritt contou também que ficou em choque quando recebeu a notícia da sua liberação. “Por alguns minutos, eu fiquei em choque”, disse o atleta, de 25 anos, que disse ter aprendido com a experiência negativa. “Foi um erro. Eu era muito jovem. Erros acontecem. Agora só quero manter essa história no passado e seguir em frente”, comentou.

Publicidade