Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Médicos descartam ampliar amputação de perna de Jackson Follmann

A partir de domingo os pacientes começam a ser preparados para o retorno ao Brasil

Por Da Redação 10 dez 2016, 19h35

Após o anúncio da transferência do jornalista Rafael Henzel da Unidade de Terapia Semi-Intensiva para o quarto do hospital, neste sábado, os médicos do Hospital San Vicente Fundación divulgaram mais uma boa notícia sobre os sobreviventes da tragédia aérea com o vôo da Chapecoense na Colômbia: não será necessário ampliar a amputação da perna direita de Jackson Follmann.

De acordo com a comissão médica, a partir de domingo os pacientes começam a ser preparados para o retorno ao Brasil, mas o melhor quadro de momento não significa a prioridade no transporte. A volta ao país será feita de acordo com a particularidade de cada aeronave disponibilizada.

Leia mais

‘Minha vida vale mais do que uma perna’

No início do dia, Henzel apresentou boa evolução e foi levado para o quarto. Segundo os responsáveis, ele respira sem cateter nasal ou suporte de oxigênio. Agora o jornalista precisa ser submetido a uma tomografia de tórax para assegurar a viabilidade do transporte de volta ao Brasil.

Já Follmann foi submetido a uma revisão cirúrgica na sexta-feira e os médicos descartaram uma ampliação da perna, pois a área não apresentou sinais de infecção. Por enquanto, o goleiro permanece com curativos, sob intensa observação nas próximas horas.

Se na sexta-feira foi identificada a bactéria causadora da infecção urinaria no lateral Alan Ruschel, neste sábado os médicos informaram que o problema está sendo tratado com antibióticos. Agora a equipe estuda a logística para o transporte do atleta a Chapecó nos próximos dias.

Com Estadão Conteúdo

Continua após a publicidade
Publicidade